Voc√™ j√° ouviu falar sobre ‚ÄúLavagem de Dinheiro‚ÄĚ. Voc√™ sabe o que significa este termo? Hoje vou falar a respeito desse assunto que por vezes aparece no nosso dia a dia, nos telejornais, na m√≠dia em geral, mas nem sempre sabemos como funciona. Vamos ver ? Antes de tudo, uma curiosidade. A origem do termo lavagem de dinheiro tem duas explica√ß√Ķes: A primeira, √© que nos estados unidos, uma rede de lavanderia de roupas funcionava como empresa de fachada e a segunda, que um grupo de fals√°rios colocava as notas de d√≥lares que fabricavam para lavar, assim elas ficavam com apar√™ncia de velhas e n√£o chamavam tanta aten√ß√£o. A lavagem de dinheiro √© uma express√£o relacionada a pr√°ticas econ√īmico-financeiras que tem por objetivo disfar√ßar ou esconder a origem il√≠cita de dinheiro ou bens. Isso geralmente ocorre por meio de empresas de fachada, ou seja, neg√≥cios de mentirinha, que s√£o controlados pelos praticantes do crime. Veja mais ou menos como funciona: Os criminosos pegam o valor que ganharam de forma ilegal, como por exemplo (venda de drogas, prostitui√ß√£o, falsifica√ß√£o de dinheiro, sonega√ß√£o de impostos, desvios, propinas, entre outros) e fazem parecer que este ganho, no papel, tenha acontecido de forma honesta, comum, usual. Digamos que um restaurante, que fa√ßa a venda de 50 refei√ß√Ķes por dia, passe a contabilizar essa venda, como se houvesse vendido 150, lavando, ou esquentando a origem de dinheiro, de 100 refei√ß√Ķes a mais. Grade parte dos criminosos preferem atividades onde o meio de pagamento, seja em sua maioria, em dinheiro, assim, fica mais dif√≠cil de rastrear. Em outros casos, criminosos utilizam-se de empresas que prestam servi√ßos de consultorias, pois assim, podem contabilizar a presta√ß√£o de servi√ßos, com valores que ficam dif√≠ceis de se questionar, pois nos casos de consultoria ou palestras, no geral, os valores s√£o estipulados de acordo com o conhecimento do consultor e a import√Ęncia desse conhecimento para o contratante.. Geralmente os criminosos, posteriormente, fracionam novamente a distribui√ß√£o de dinheiro em outras contas banc√°rias, outras pessoas, e dependendo do caso, remetendo os recursos para para√≠sos fiscais, que s√£o aqueles pa√≠ses ou territ√≥rios, onde os impostos s√£o baixos e o sigilo banc√°rio √© praticamente total. Os criminosos tamb√©m costumam comprar objetos de arte, pois √© dif√≠cil de se avaliar monetariamente o valor de uma obra de arte, esses valores s√£o muito inst√°veis, geralmente os compradores de obras de arte ficam no anonimato, pelo sigilo comum praticado no momento da transa√ß√£o. A sonega√ß√£o tribut√°ria, a lavagem de dinheiro, os crimes de colarinho branco, que s√£o os praticados por pessoas de alto n√≠vel de poder, est√£o sendo alvos de v√°rios mecanismos de controle por meio dos √≥rg√£os competentes. V√°rios cruzamentos eletr√īnicos de informa√ß√Ķes s√£o feitos instantaneamente. Os √≥rg√£os est√£o solid√°rios entre s√≠. V√°rios profissionais e entidades prestam declara√ß√Ķes peri√≥dicas a √≥rg√£os como Coaf, que √© o Conselho de Controle de Atividades Financeira, Receita Federal, Banco Central entre outras. Os pa√≠ses est√£o trocando informa√ß√Ķes e se ajudando no combate a lavagem de dinheiro. A lavagem de dinheiro s√≥ fortalece aos criminosos, √© prejudicial ao pa√≠s, a sociedade como um todo. Que possamos cada vez mais entender como funciona este e outros mecanismos corruptos, que est√£o impregnados e destroem nossa sociedade, para que possamos ajudar no combate a esses crimes. Robson Pezzini
0 comments
0 comments