Início / Blog / Conteúdo humanizado: o que é e por que ele é importante?
Fechar

Conteúdo humanizado: o que é e por que ele é importante?

Não é só o cliente que se beneficia do conteúdo humanizado. O seu negócio também. Aprenda como fazer.

Imagem de uma pessoa cercada por símbolos de usuários representando conteúdo humanizado no marketing digital.

Toda marca gostaria de se comunicar melhor com seu público-alvo. E, por isso, muitas utilizam a estratégia do marketing de conteúdo para nutrir, educar e atrair o cliente.

Ao optar por esse caminho, o empreendedor deve lembrar que é preciso estabelecer métricas para saber se a estratégia está dando certo. Contudo, o marketing de conteúdo vai muito além dos números e KPIs. 

Na verdade, o objetivo é estabelecer um olhar para pessoas reais, com sentimentos, vontades e necessidades. Até porque o comportamento do consumidor é altamente baseado nestes aspectos. 

Nesse sentido, criar conteúdos humanizados, capazes de conversar diretamente com as pessoas de igual para igual ajuda a engajar, encantar e converter. 

No post a seguir, você entenderá, com mais detalhes, a importância de humanizar conteúdos para a sua marca. Confira!

Post index MenuÍndice
O que é conteúdo humanizado? Por que o conteúdo humanizado é tão importante? 5 dicas para humanizar os conteúdos do seu negócio
Voltar ao Índice

O que é conteúdo humanizado?

Para aplicar um processo em um negócio, é preciso entender o seu conceito, não acha? Dessa forma, você consegue identificar se essa é a melhor alternativa para o crescimento da organização.

Um conteúdo humanizado é aquele capaz de se conectar com os interesses, necessidades e emoções da persona, a fim de criar uma relação de confiança. Ou seja, ele entende a realidade da persona e a coloca no centro da estratégia da marca, entregando algo de valor para a sua vida.

Aliás, isso tudo faz parte do human experience, ou experiência humana. Sendo assim, a principal preocupação da marca passa a ser o ser humano e a sua experiência — e não apenas o consumidor/comprador (customer experience). 

Isto é, o conteúdo humanizado se conecta com pessoas e não com produtos, serviços, métricas, seguidores nas redes ou posts do Instagram.

Por que o conteúdo humanizado é tão importante?

A humanização dos conteúdos não traz benefícios apenas para o cliente. A sua marca também sai ganhando, sabia? 

Além de estreitar a relação com o público e criar laços, você cria clientes fidelizados e promotores do seu negócio — eles priorizam o seu produto ou serviço e falam bem para amigos e familiares.  

E tem mais: ao optar por essa estratégia, o engajamento aumenta, ajuda a otimizar a sua reputação e aumenta as conversões (vendas). 

Outra questão importante da humanização é como a sua marca agrega valor na vida da persona. Quando alguém acessa algum conteúdo na internet, em qualquer canal, ele quer tirar alguma dúvida, se entreter ou aprender algo. 

Caso nenhum desses objetivos seja atingido, podemos dizer que o negócio não produziu conteúdos humanizados o suficiente.

Quem gosta do que vê, vai curtir o conteúdo, navegar por outras páginas, seguir nas redes ou até mesmo realizar uma compra — dependendo do estágio da pessoa no funil de conversão. 

Isto é, quanto mais a sua persona engajar com você, maior a chance de realizar uma compra. Viu como essa estratégia do marketing de conteúdo é importante para o seu negócio? 

5 dicas para humanizar os conteúdos do seu negócio

Bom, até aqui você entendeu a importância de humanizar os seus conteúdos, certo? Então, como aplicar essa estratégia no seu negócio? 

Para isso, listamos um passo a passo para ajudá-lo a conectar com as vontades, dores e dúvidas da sua persona por meio de vídeos, textos ou imagens.

1. Conheça a fundo a sua persona

Para compreender a realidade do seu público, é preciso saber quem é o seu cliente ideal. Por isso, construímos um perfil semi-fictício, chamado de persona, representando o comprador ideal para a sua marca.

Quando falamos em semi-fictício, significa criar um perfil com base nos dados reais dos seus clientes. É possível coletar tais dados entrevistando os compradores fidelizados, por exemplo. 

Ao construir uma persona, você é capaz de evitar criar conteúdos baseados em achismos ou ideias sem base de dados vindos da sua cabeça.

2. Aposte no storytelling

O termo nada mais é que contar histórias. O storytelling é uma boa opção para se conectar a emoções; para desenvolver uma boa narrativa você pode apresentar pessoas e casos reais nos seus posts. 

Uma narrativa bem estruturada e contada estimula a conexão do público, sabe por que? Já reparou que quando queremos relaxar buscamos assistir a filmes, séries e até novelas? Elas apresentam narrativas e muitas vezes prendem a nossa atenção até o último minuto. 

Para criar uma narrativa no seu conteúdo humanizado, você pode falar sobre os desafios do seu negócio, apresentar alguma história de superação de algum cliente ou como a sua marca mudou a vida de alguém. 

Inclusive, muitas marcas famosas usam o storytelling para gerar conteúdos. Alguns exemplos são a Dove, a Coca-Cola, a Natura, o Itaú e até a Heineken. O storytelling dessas organizações está presente tanto nos comerciais, quanto nos outdoors, páginas de revista e redes sociais. 

Ou seja, qualquer nicho pode usar essa técnica para se aproximar da clientela.

3. Compartilhe os valores da sua marca

De modo geral, ao serem criadas, as marcas estabelecem valores, culturas e visões. Há anos atrás, esses fatores não eram utilizados como estratégia de aproximação com o público. Contudo, hoje o consumidor quer ver as marcas se posicionando diante de causas sociais. 

Neste contexto, quando um negócio expressa os seus valores, ele se torna mais humano. Compartilhar o que a sua marca acredita permite ao público se conectar e acreditar mais nos produtos e serviços oferecidos. 

Então, que tal compartilhar seus pilares via manual de marca, vídeos nas redes sociais e outros conteúdos institucionais? 

4. Use a linguagem da sua audiência

Há muitos anos, a linguagem é um dos fatores essenciais para as relações humanas. Isso inclui expressões, gestos, tom de voz e muito mais.

Por isso, determinar o tipo de linguagem usada é muito importante para humanizar qualquer organização. Entenda: um conteúdo humanizado conversa diretamente com o público, utilizando uma linguagem mais próxima dessa audiência.

Para isso, pense qual o tipo de linguagem a sua persona se sentiria à vontade para engajar. A Netflix, por exemplo, usa uma linguagem totalmente informal por meio de memes e piadas. 

Contudo, se o seu negócio é uma funerária, por exemplo, é melhor desenvolver uma comunicação mais formal e serena, pois você está lidando com familiares passando pelo luto.  

5. Não fale apenas sobre a marca e seus produtos 

Ao optar pelo Marketing de Conteúdo, é preciso focar em conteúdos e materiais relevantes capazes de ajudar a persona a resolver seus problemas — e não apenas em produtos e promoções oferecidas por você. 

As pessoas não querem apenas saber dos seus produtos, elas também querem fazer parte do seu mundo. Sendo assim, aposte em conteúdos topo e meio de funil também, pois eles educam e despertam interesse até então desconhecidos pela sua persona. 

Uma boa dica é usar o princípio 80/20: 20% dos seus posts no blog e nas redes sociais serão sobre a sua marca, seus produtos e promoções e os outros 80% dos conteúdos serão sobre dicas, pesquisas e explicações dos conceitos do seu segmento.  

Viu como humanizar um conteúdo não é complexo? Além de estreitar a relação com o seu público, você consegue atrair mais pessoas, melhorar a reputação da sua marca e alavancar as vendas. 

Para aproveitar essas vantagens o melhor é ter uma marca humanizada também. Você sabe como? Leia o nosso post sobre o assunto e fique por dentro de tudo!