Início / Blog / Conheça os principais planos de câmera
Fechar

Conheça os principais planos de câmera

Enquadramento aberto, fechado, close-up, detalhe, de passagem: esses nomes podem não ser tão populares, mas certamente você reconhecerá os efeitos que eles causam no público. Saiba mais!

As técnicas audiovisuais ajudam a transformar a mensagem na hora de gravar vídeos. Entre elas, o enquadramento é um dos mais importantes recursos da linguagem cinematográfica.

Os diferentes tipos de planos de câmera garantem efeitos específicos, como o de ambientação ou de choque no espectador.

Muitas vezes, também somos levados por diversos posicionamentos, de modo que a nossa resposta emocional é construída aos poucos. Por isso, saber usar as técnicas de enquadramento é um dos meios mais eficazes de conseguir realmente transmitir uma mensagem para o público, além do conteúdo explícito — como o roteiro de fala.

Neste texto, vamos conhecer justamente os planos de câmera mais utilizados para fazer vídeos e qual é a expressão de cada um em uma cena.

Tipos de planos de câmera

O enquadramento determina qual será o tamanho de objetos e pessoas em relação ao ambiente.

Escolher o posicionamento de câmera certo pode levar o público a ter sensações específicas. Esse é um dos aspectos que separa um vídeo profissional de um amador.

Em geral:

  • Planos mais abertos são descritivos, ajudam a ambientar e situar o espectador na história;
  • Planos mais fechados são expressivos e dramáticos, porque a proximidade ajuda a captar sentimentos e transmiti-los ao público.

Plano aberto (very long shot — P/G)

O plano aberto — também chamado de plano geral ou very long shot — é o que mostra uma visão panorâmica.

Normalmente, esse tipo de plano isola uma figura humana ou um objeto em uma paisagem ampla.

Sua principal função é a de ambientar o público, ou seja, mostrar o lugar que rodeia os personagens.

Por exemplo, a cena da série Star Trek: Discovery, em que duas silhuetas aparecem caminhando em um enorme terreno de areia.

Plano de câmera: Star-Trek-Discovery-very-long-shot

Outro exemplo é no filme O Iluminado, de 1980, uma das cenas mais icônicas é a visão de cima do labirinto invernal onde, mais tarde, ocorrerá uma perseguição. Ao aproximar a câmera, percebemos que há uma pessoa no centro.

Plano de câmera: The-Shining-very-long-shot

Plano médio (long shot — P/M)

Já o plano médio — ou long shot — é um pouco mais próximo do que o aberto, mas ainda mostra bastante do ambiente.

Ele serve para estabelecer uma relação temática entre o personagem e o espaço.

No exemplo do filme Blade Runner 2049, o protagonista caminha em meio a gigantescas estátuas femininas, localizadas em uma Las Vegas em ruínas.

Plano de câmera: Blade-Runner-2049-Long-shot

Plano americano (mid shot — P/A)

O chamado plano americano — ou mid shot (médio/moderado) — é um dos enquadramentos que já caminha para o campo das expressões.

Embora ainda mostre um pouco do ambiente, a câmera normalmente mostra os personagens dos joelhos para cima e não enfoca em temas.

Nesta cena do seriado Twin Peaks, por exemplo, temos um diálogo entre dois personagens que demonstra uma inter-relação de alento ou de cordialidade.

Plano de câmera: Twin-Peaks-Mid-plan

Em Cowboys & Aliens, também temos um exemplo de mid shot, com o foco mais próximo da silhueta do personagem.

Plano de câmera: Cowboys-Aliens-Mid-shot

Primeiro plano (close-up — P/P)

O close-up é um clássico entre os planos de câmera.

Ele serve para dar foco aos sentimentos do personagem, com a câmera bastante próxima. Normalmente, ela se concentra na figura humana dos ombros para cima.

Dois exemplos são as cenas de O Regresso e de Full Metal Jack.

Na primeira, a expressão que a cena nos passa é de cansaço e tristeza.

Plano de câmera: O-Regresso-Close-up

Na segunda, o foco no rosto, o gesto com a mão e até mesmo o ângulo de baixo para cima transmite um efeito de autoritarismo ou opressão.

Plano de câmera: Full-Metal-Jack-Close-up

Primeiríssimo plano (big close-up — Pº/P)

Já no primeiríssimo plano, as lentes da câmera nos levam ainda mais fundo no sentimento do personagem.

O enquadre fecha o rosto na câmera, de modo que muito pouco ou nada no ambiente consiga ser visto.

A clássica cena do filme O Silêncio dos Inocentes é um exemplo. Nela, a narrativa nos faz ter medo do personagem principal, em especial por causa do enfoque em que ele aparece muito próximo, levemente superior e com os olhos incisivos no público.

Plano de câmera: Silence-of-the-lambs-Extra-close-up

Em Closer: Perto Demais também temos um exemplo de primeiríssimo plano. O close acentuado no rosto da personagem evidencia bastante a carga emocional.

Plano de câmera: Closer-Extra-close-up

Plano detalhe (extra big close-up — P/D)

Ainda mais próximo que o primeiríssimo plano, o detalhe serve para dar foco a algum objeto pequeno. Em geral, não se reconhece o ambiente ou mesmo o próprio objeto.

O objetivo é criar uma sensação de mistério e a surpresa posterior quando o enquadramento fica mais amplo, o que ajuda a prender a atenção do espectador.

Esse tipo de enquadre aparece no filme Requiem For a Dream, em que o foco nos olhos mostra as transformações na pupila depois do uso de substâncias químicas.

Plano de câmera: Requiem-for-a-dream-Extra-big-close-up

Outro exemplo está na série Breaking Bad, com a câmera focando em uma mosca sobre as lentes dos óculos.

Plano de câmera: Breaking-Bad-Extra-big-close-up

Plano sequência (long take)

O plano sequência é muito interessante para dar a ideia de continuidade ou mesmo de dinamicidade.

Ele é caracterizado por ser um shot sem cortes — ao menos, aparentemente — e garante resultados incríveis principalmente em temáticas de ação.

Na série Demolidor, temos um exemplo muito bom: são mais de 3 minutos de gravação contínua em uma cena de luta no corredor — um número bastante impressionante no meio cinematográfico.

Plano inicial/de passagem

Já o inicial ou de passagem, é um dos planos de câmera empregados para situar o público quando há mudança de localização na narrativa.

Normalmente, o diretor pode optar por usar um plano aberto com cortes para a troca de ambientes. No entanto, há outras formas de se mostrar essa passagem.

No filme Chumbo Grosso, por exemplo, há uma cena em que o personagem passa por diversos ambientes em pouco mais de 30 segundos. A câmera passa por cortes rápidos intercalando shots panorâmicos e closes.

Como criar boas histórias com planos de câmera?

Como você viu, os planos de câmera fornecem os mais variados efeitos na cena.

Para quem trabalha com a produção de vídeos, entender o poder dos enquadramentos é importante para conseguir shots mais direcionados.

O posicionamento certo é capaz de contar a história de um jeito diferente e criar determinadas sensações e respostas emocionais no público.

Para deixar seus vídeos ainda mais profissionais, veja também nosso post sobre como gravar em ambientes externos.