Início / Blog / Conheça os programas do Pacote Adobe e descubra se vale a pena assinar
Fechar

Conheça os programas do Pacote Adobe e descubra se vale a pena assinar

Saiba tudo sobre o Pacote Adobe, conheça os principais programas e descubra se vale a pena assinar o Creative Cloud.

Que o computador se tornou essencial no mercado de trabalho, isso você já sabe. Porém, somente o acesso à internet não é o suficiente. É preciso ter as melhores ferramentas à disposição para ter uma boa produtividade e excelência nas entregas. É aí que o Pacote Adobe entra em cena.

Sendo um dos softwares mais famosos do mundo, o Adobe é capaz de auxiliar profissionais de vários ramos, como fotógrafos, designers, videomakers e mais. A ferramenta pode ser indispensável para vários negócios e é exigida em muitas vagas de emprego no mundo todo.

Mas afinal, como surgiu o pacote Adobe e quais programas fazem parte dele? Nós preparamos um conteúdo completo para você entender como utilizá-lo na prática. Confira!

Post index MenuÍndice
O que é o pacote Adobe? Os 6 principais programas do Pacote Adobe O que é o Adobe Creative Cloud?
Voltar ao Índice

O que é o pacote Adobe?

Antes de mais nada, você conhece a história da marca? A Adobe é uma multinacional fundada na Califórnia – EUA, em dezembro de 1982, por Charles Geschke e John Warnock.

Assim como outras marcas gigantes, a Adobe também começou em uma garagem, mas a ideia primária era o desenvolvimento de softwares para impressão, conectados a um computador. Lembrando que, antes dos anos 2000, essa tecnologia era considerada inovadora, pois a impressão era escassa na época.

A Adobe aproveitou o boom da impressão e da digitalização de documentos que ocorreu durante esses anos e também percebeu outras necessidades de seu público. Dessa forma, a marca soube se reinventar e andar junto ao avanço da tecnologia, entrando no ramo de criações de produtos 100% digitais.

Hoje, ela é referência no mercado de softwares multimídia, oferecendo soluções de criação, de marketing e de gerenciamento de projetos. Os recursos da Adobe vão de um espectro para o outro: criação, edição e pós-produção de vídeos e imagens.

O pacote Adobe nada mais é que o conjunto desses recursos, os quais podem ser adquiridos juntos ou separados. Apesar de pagos, há recursos gratuitos, como o Acrobat Reader, que permite a conversão de documentos de vários formatos em um arquivo PDF.

O Acrobat tem a grande vantagem de converter um documento de maneira que ele fique fiel ao original, independente do conteúdo. 

Os 6 principais programas da Adobe para criar conteúdos 

1. Photoshop

Logomarca do Photoshop, com as letras P e S em azul sobre fundo preto

O Adobe Photoshop é, há muito tempo, o software de tratamento e manipulação de imagens mais utilizado no mundo. Criado em 1990, ganha novas funcionalidades e melhorias a cada atualização.

Considerado praticamente um laboratório, o Photoshop permite fazer qualquer coisa — de criações de peças de design a montagens e fusões complexas em fotos.

Sua caixa de ferramentas é tão vasta que é virtualmente impossível conhecer completamente todas as funções que o programa oferece.

Entre as principais desvantagens do Photoshop podemos citar a longa curva de aprendizado, demandando muita prática do usuário, além de não ser voltado para a edição e tratamento de fotos em lote.

2. Lightroom

Logomarca do Lightroom, com as letras L e R em azul sobre fundo preto

Surgido como uma derivação do Adobe Camera RAW, plugin do Photoshop para tratamento de imagens em RAW, o Lightroom é o principal software de edição e tratamento de fotos e utilizado por fotógrafos no mundo inteiro.

Seu foco está na capacidade de ler, organizar e facilitar o processo de edição (escolha das fotos) e tratamento (correções e aplicação de efeitos).

Hoje em dia ele é considerado indispensável para qualquer fotógrafo que se preze, oferecendo funções cada vez mais avançadas a cada atualização.

Comparado ao quarto escuro da fotografia analógica, o Lightroom é o programa que cuida do processo de revelação dos arquivos RAW, equivalentes digitais ao negativo de antigamente.

Dentro do Pacote Adobe é possível, inclusive, adquirir um plano para fotógrafos, contendo o Lightroom e o Photoshop.

Essa opção é muito útil para quem trabalha com edição e tratamento de imagens, pois os programas são complementares.

O Lightroom se destaca em praticamente tudo que o Photoshop não consegue cobrir.

Ele é mais fácil de ser entendido, trabalha diretamente com arquivos em RAW, permite a classificação de fotos por diversos aspectos e foca na produtividade e no fluxo de trabalho.

O grande ponto negativo é que o Lightroom não é tão preciso quanto o Photoshop para pequenas correções nas imagens, apesar de constantemente incrementar suas funcionalidades.

A tendência é que, no ritmo atual, o Lightroom passe a ser mais utilizado que o Photoshop nos próximos anos.

3. Illustrator

Logomarca do Illustrator, com as letras A e I em laranja sobre fundo preto

Diferentemente dos outros programas do Pacote Adobe que trabalham diretamente com imagens, sejam elas fotos, vídeos ou materiais gráficos, o Illustrator tem um objetivo específico: criar e manipular vetores.

Mais antigo até que o Photoshop, esse software é muito mais preciso que seu concorrente mais próximo, o Corel Draw.

Seu foco está na criação vetorial, ou seja, em vez de trabalhar com mapas de pixels, o Illustrator cria desenhos a partir de curvas que nada mais são do que equações matemáticas.

Justamente por isso, o Illustrator possibilita que as imagens tenham seu tamanho manipulado à vontade, sem nenhum tipo de perda de qualidade.

Assim, é muito utilizado para a criação de identidades visuais, sites, peças publicitárias e até mesmo desenvolvimento de aplicativos mobile.

4. InDesign

Logomarca do InDesign, com as letras I e D em magenta sobre fundo preto

Voltado para tarefas de diagramação, o InDesign surgiu para suprir a demanda de criação de documentos, álbuns, flyers e outros produtos gráficos.

Com ele, é possível formatar esse tipo de peça facilmente e com bastante precisão.

É um dos softwares mais utilizados por profissionais de design gráfico, permitindo a criação, diagramação e visualização de materiais como revistas, anúncios, propostas, embalagens e outros.

Por mais que hoje em dia a maioria dessas peças de design seja voltada para exibição virtual, o InDesign também é a melhor escolha para quem precisa diagramar as que serão impressas.

Com ele, é possível criar matrizes para pré-impressão e documentos finais para qualquer tipo de gráfica existente.

5. Premiere Pro

Logomarca do Premiere Pro, com as letras P e R em lilás sobre fundo preto

O Premiere é, sem dúvidas, o software de edição de vídeos mais famoso entre os profissionais. Ideal para quem busca uma ferramenta completa e cheia de recursos, ele trabalha com um sistema de linha do tempo e edição em tempo real.

Cinematógrafos profissionais utilizam o programa para editar vários vídeos ao mesmo tempo, aplicando efeitos, trabalhando com trilhas sonoras e até mesmo manipulando elementos em 3D.

Principal ferramenta de edição de vídeos do mercado, o Premiere suporta arquivos de altíssima resolução, possibilitando a manipulação em até 8K o que, é claro, exige uma máquina proporcionalmente poderosa.

Com diversos filtros e efeitos já embutidos no programa, o Premiere ainda possibilita a criação de introduções, edição de transições, correção de cores e outros aspectos, como a inserção de legendas.

Com o crescimento da popularidade do YouTube na última década, o Premiere se tornou uma ferramenta indispensável para os criadores de conteúdo e para qualquer estratégia de marketing baseada em vídeos. É, hoje, um dos programas mais procurados do Pacote Adobe.

6. After Effects

Logomarca do After Effects, com as letras A e E em lilás sobre fundo preto

Quem trabalha com edição de vídeos pode sentir falta, no Premiere, de alguns recursos mais avançados, principalmente na hora de inserir efeitos visuais mais trabalhados.

O After Effects está para o Premiere assim como o Lightroom está para o Photoshop, se for possível realizar algum tipo de paralelo.

Muito utilizado na indústria cinematográfica, o After Effects é uma das principais ferramentas do mercado para manipulação de cenas, permitindo a inserção de objetos, motion graphics e animações de patamar profissional.

Assim como o Premiere, o After Effects funciona por meio de um sistema de linha do tempo, além de incluir a organização por camadas, o que faz com que a ferramenta seja muito mais complexa e completa.

O que é  o Adobe Creative Cloud? 

A Adobe continua inovando e, como já mencionamos, ela anda junto com os avanços tecnológicos. Por isso, surgiu o Creative Cloud — “Nuvem Criativa”, em português. Essa é uma invenção bastante útil para quem usa os softwares da marca.

Um dos objetivos dele é facilitar o armazenamento e a troca dos arquivos entre dispositivos e usuários. Ou seja, assim como outros programas em nuvem, é possível iniciar um projeto em um computador e continuá-lo em outro computador, celular ou tablet. Isso ajuda na dinâmica, fluidez e produtividade — além de evitar contratempos, como a perda de arquivos ou dados.

Lançado em 2011, o CC é um serviço em nuvem disponível nas versões desktop e mobile (iOS e Android), o qual oferece acesso às seguintes ferramentas da marca:

  • Adobe Acrobat;
  • Adobe After Effects;
  • Adobe Animate;
  • Adobe Audition
  • Adobe Bridge
  • Adobe Dreamweaver
  • Adobe Illustrator
  • Adobe InCopy
  • Adobe InDesign
  • Adobe Dimension
  • Adobe Muse
  • Adobe Photoshop
  • Lightroom
  • Adobe Premiere Pro
  • Adobe Media Encoder
  • Adobe Prelude 
  • Adobe SpeedGrade
  • Adobe Story Plus 
  • Behance
  • Adobe Spark 

Incrível a gama de ferramentas disponíveis na nuvem, não é mesmo? Os pacotes e os preços variam, até porque existem quatro modalidades de associação: para pessoas físicas, para empresas, para estudantes e professores e para instituições de ensino.

O preço do pacote do Creative Cloud com todas as ferramentas para pessoas físicas é de R$ 224,00/mês até a data de publicação deste conteúdo. Já para empreendimentos, é possível obter o CC com todos os programas por R$ 350,00/mês. Para utilizar apenas um aplicativo na nuvem, o valor é R$ 145,00/mês.

Já para estudantes e professores, o preço do pacote completo vai para R$ 86,00/mês no primeiro ano — e R$ 124,00/mês após esse período. Para escolas e universidades, o plano com todos os apps custa R$ 149,00/mês ou R$ 60,00/mês por usuário para utilizar aplicativos individuais na nuvem.

Por que assinar o Creative Cloud?

Vale a pena assinar o CC? Para responder essa pergunta, é preciso analisar os benefícios oferecidos. Veja bem:

  • Gerenciamento simplificado de licenças: esse é, provavelmente, um dos maiores desafios para vários negócios. Isso porque gerenciar um grande número de licenças ou saber qual usuário está usando determinada licença é algo que pode ser difícil em empresas ou negócios que não contam com um bom departamento de TI;
  • No CC, a distribuição de licenças é simplificada por meio de convites por e-mail. Além disso, essas licenças são de propriedade do negócio e, portanto, podem ser redistribuídas a qualquer momento, caso necessário;
  • Colaboração na nuvem: trata-se do compartilhamento do arquivo entre usuários para colaboração mútua, sem que um interfira no trabalho do outro. Os níveis de acesso também são simplificados, pois você consegue escolher quem pode acessar, deixar comentários e mais. 

Esse benefício agiliza, e muito, o trabalho da equipe, concorda? Além disso, assinar o Creative Cloud traz outras vantagens, como:

  • Preços convidativos para diferentes públicos;
  • Liberdade de escolha de uso de aplicativos ao assinar;
  • Suporte e atendimento especializado;
  • Uma grande variedade de ferramentas;
  • Tutorial completo e detalhado para usar os programas disponíveis;
  • 100 GB de armazenamento em nuvem: é o suficiente para armazenar mais de 300 mil arquivos e 100 mil pastas. Caso necessite, é possível aumentar a cota e passar a ter 1, 2, 5 e até 10 TB;
  • Possibilidade de usar a nuvem estando offline;
  • Recebimento de atualizações das ferramentas assim que elas são lançadas, caso queira;
  • Caso cancele a assinatura, você passa a usar o modelo gratuito do Creative Cloud com 2 GB de espaço: a Adobe não deixa seus antigos usuários desamparados;
  • Acesso instantâneo a milhares de fontes da Adobe no Stock e Marketplace.

E então, depois de conhecer todas essas vantagens, você acha que vale a pena assinar o Adobe Creative Cloud?

O alcance do Pacote Adobe

Ele é, sem dúvidas, a principal suíte de programas voltados para a criação de conteúdo e desenvolvimento de peças gráficas e outros materiais de divulgação.

Com possibilidades que se estendem muito além desses horizontes, os softwares da Adobe são a caixa de ferramentas completa de qualquer marca que pretende modernizar seus processos de marketing.

E já que estamos falando sobre profissionalismo e qualidade do produto, descubra também como escolher suas lentes de câmera para fazer vídeos profissionais!


Este post foi originalmente escrito em abril de 2019 e atualizado para conter informações mais completas e precisas.