Início / Blog / Influenciador digital: o que é, quanto ganha e como se tornar um?
Fechar

Influenciador digital: o que é, quanto ganha e como se tornar um?

Confira um guia completo para criar conteúdos na web e fazer de sua paixão uma verdadeira fonte de renda.

Influenciador digital - Ilustração de um notebook com uma pessoa na tela e ícones de redes sociais ao redor do dispositivo sobre fundo azulado

Antes do surgimento da internet e do marketing digital, uma das estratégias mais efetivas de divulgação de produtos e serviços aconteciam por meio do “boca a boca”. 

Era dessa forma, na base da indicação e da propaganda espontânea que se ganhava a confiança de clientes, convenção de vendas, fidelização do público e se estabelecia na praça.

Hoje, com os avanços da tecnologia e redes sociais, várias pessoas divulgam produtos de maneira profissional. Geralmente, essas pessoas têm muitos seguidores e conseguem impulsionar as marcas a ponto de impactar suas vendas positivamente. 

Estamos falando do digital influencer, que fica alocado no que chamamos de marketing de influência — profissão bastante popular e visada pela geração Z. Hoje, esse setor já movimenta bilhões! Segundo o Business Insider, a previsão é de que, até o final do ano de 2022, o setor valha US$ 15 bilhões — cerca de R$ 79 bilhões.

Quer aprender mais sobre o digital influencer? Melhor, que saber como se tornar um? Venha com a gente, porque, no artigo a seguir, vamos mostrar tudo que você precisa saber sobre o assunto.

Post index MenuÍndice
O que é um influenciador digital? Quais os tipos de influenciadores digitais? Como é o mercado de influenciadores digitais? Quais as vantagens de trabalhar como digital influencer? O que é preciso para entrar no mercado de influenciadores? Como um digital influencer ganha dinheiro? Quanto ganha um influenciador digital? Como ser um influenciador digital? 4 dicas para ter sucesso como digital influencer
Voltar ao Índice

O que é um influenciador digital?

 

O digital influencer é a pessoa com a capacidade de influenciar o comportamento e a opinião de grandes massas por meio dos conteúdos publicados em seus canais de comunicação, como Instagram, Twitter, YouTube e TikTok. 

Existem influenciadores em praticamente todos os nichos, falando sobre os mais diversos assuntos. Por exemplo, no ramo de cosméticos, tem a Camila Coelho, Boca Rosa e muitas outras. No setor de finanças, tem o Thiago Nigro e o Bruno Perini, e por aí vai. 

Mas, além de serem divididos por nichos, você sabia que há tipos diferentes de influenciadores digitais?

Quais os tipos de influenciadores digitais?

Para entender porque influenciadores são divididos por nichos, basta saber que existem 3 fatores base para fazer essa distinção: alcance (o tamanho da audiência), a capacidade de engajamento e a relevância com o assunto e valores da marca.

Gráfico em pirâmide com os tipos de influenciadores digitais classificados de acordo com o número de seguidores

Top celebridade

Esse tipo possui um alcance e engajamento enormes, mas pouca relevância. Isso porque essas pessoas costumam falar de vários assuntos sem se aprofundar em quase nenhum.

Exemplo disso é o Whindersson Nunes, com mais de 20 milhões de seguidores. Ele fecha contrato com várias marcas de segmentos diferentes, como Bob ‘s, Oi e até Tele Sena.

Portanto, se quer que a sua marca seja popularizada, indicamos esse tipo de influenciador. Contudo tenha em mente: uma top celebridade não é o mais indicado para gerar vendas.

Fit Celebridade

Esse tipo tem os 3 fatores fortíssimos: alcançam muita gente, tem engajamento e muita relevância no assunto em que se dedicam.

Podemos facilmente citar a Thássia Naves, a queridinha da moda, com um grande número de seguidores nas redes sociais. Por isso, empresas desse nicho conseguem alcançar seus seguidores fashionistas.

Autoridade

O perfil autoridade tem uma audiência baixa, porém bem segmentada. Por isso, ela gera muito engajamento e tem muita relevância no nicho. Quer um exemplo? O JP, CEO e fundador da Hotmart. Ele é referência para empreendedores e profissionais de todo o país. 

Ecossistema

Um perfil ecossistema é um conjunto de influenciadores dentro de um nicho. Cada um deles pode promover a mesma marca e isso ajuda a criar autoridade dentro do segmento.

Apesar do baixo alcance e engajamento, possui muita relevância, pois o conteúdo é bastante segmentado. Estamos falando de conjuntos que abordam decoração, games, esportes e outros.

Podemos exemplificar um perfil ecossistema com a Casinha Arrumada, Homens da Casa, Organize sem Frescuras e Limão na Água.

TrendSetter

Talvez o mais polêmico seja o trendsetter, pois é ele quem causa discussões nas redes sociais. De maneira geral, ele é o pioneiro em defender um ponto de vista sobre algum assunto.

Quem tem um posicionamento definido pode contar com a influência do TrendSetter. Alguns exemplos: Jout Jout e Hana Khalil.

A Hana, por exemplo, produz conteúdos audiovisuais sobre relacionamentos abusivos, veganismo e saúde da mulher no século XXI. Note como esses assuntos são tabus para a maioria das pessoas.

Jornalista

O jornalista tem um alcance imenso, pois é capaz de cobrir uma gama de pautas em meios de comunicação que atingem grandes massas.

Exemplos são: Míriam Leitão sobre economia e política, William Bonner, Gabriela Prioli sobre leis e política e por aí vai.

Jornalistas são mais analíticos e ajudam a trazer informações inéditas e dos dois lados da moeda para estimular o pensamento crítico de quem os assiste.

Público interno

Nada mais é que os funcionários de um negócio. Eles ajudam a humanizar a disseminar a cultura e valores do trabalho. Isso porque toda organização precisa de colaboradores que acreditam, confiam e divulgam a empresa.

O alcance e o engajamento é baixo, mas essa pessoa tem muita relevância, pois conhece a empresa bem e por isso tem autoridade para falar dela.

Como é o mercado de influenciadores digitais?

O Brasil é um dos grandes responsáveis pela grande movimentação monetária do mercado de influenciadores, pois somos muito ligados no digital desde quando o Orkut era febre. E note quantas centenas de influencers nós temos hoje em dia, de várias idades e segmentos.

Segundo a pesquisadora Elizabeth Saad, da USP, em 2021, o Brasil foi o país que mais impactou os consumidores por meio de influenciadores. O mesmo estudo mostra que 40% dos brasileiros já foram impactados por algum influenciador digital no momento de fechar uma compra.

Apesar disso, não se sabe realmente o tamanho do segmento no Brasil, mas saiba que 24 dos 100 YouTubers mais influentes do mundo são brasileiros. 

Inclusive, quanto maior for o influenciador, maior o poder de negociação para parcerias ele tem. Isso resulta em um mercado desenfreado em questões econômicas. 

A disparidade de lucro entre influenciadores é absurda, por isso, a competição por mais seguidores, autoridade e notoriedade é grande. 

Diante disso, muitos negócios apostam em micro influenciadores, com a possibilidade de trazerem melhores resultados, já que usuários os veem como genuínos em suas parcerias. 

262

Quais as vantagens de trabalhar como digital influencer?

Assim como qualquer profissão, ser um digital influencer também tem seus prós e contras. A seguir, listamos alguns.

Vantagens:

Mobilidade

Uma das maiores vantagens para pessoas que trabalham com a internet é a possibilidade de trabalhar remoto, seja em casa, no trânsito ou em qualquer lugar do mundo. Basta ter internet, um smartphone, uma câmera e/ou um computador portátil para estar conectado com todos os seus seguidores.

Liberdade editorial

Outro fator positivo da profissão de influenciador é que eles podem produzir o conteúdo que quiserem sobre o assunto que têm mais interesse, exceto nos casos que essa liberdade editorial é negociada com a empresa que contratou o serviço.

Acesso a experiências

Nos dias de hoje, o influenciador é um dos profissionais mais procurados para endossar produtos e serviços. Por causa disso, eles obtêm certas vantagens no contrato que vão além do cachê, como viagens, acesso a eventos e até mesmo produtos.

Esse tipo de recompensa é comum principalmente no início, quando o influenciador ainda não construiu a sua autoridade naquele nicho, e troca a sua influência por produtos ou serviços do anunciante, a chamada permuta.

Agenda flexível

Como a maior parte do trabalho do influenciador pode ser realizada em casa, ele também tem mais liberdade para organizar sua agenda e distribuir seu dia entre compromissos pessoais e profissionais.

Mas é importante ter atenção nesse ponto e não ser flexível demais nos horários, pois você precisará produzir conteúdo constantemente para seus canais, se quiser manter sua audiência engajada.

Desvantagens:

Passar menos tempo com a família

Conforme a demanda pelo seu trabalho aumenta, é possível que você tenha que realizar algumas viagens e comparecer a eventos para divulgar produtos e serviços, o que significa passar mais dias longe de casa. Esse pode ser um grande empecilho para pessoas muito apegadas à família, principalmente, para os influenciadores que têm filhos.

Mas não desanime! Pense da seguinte forma: quanto mais valor você gerar para a empresa que contratar seus serviços, mais fácil será negociar condições, inclusive, solicitar que seus familiares viajem com você.

Falta de privacidade

Por causa do excesso de exposição, muitos seguidores sentem como se te conhecessem e podem ser invasivos durante seus momentos de lazer. É comum que essas pessoas tenham interesse em tirar uma foto com você, mas é importante estabelecer limites para preservar sua privacidade e das pessoas que estiverem te acompanhando.

Haters

Os haters são aqueles usuários cuja maior distração é entrar em perfis de pessoas conhecidas para fazer comentários maldosos.

De acordo com a quantidade de comentários que essa pessoa fizer, e o nível da ofensa, o melhor caminho é ignorar. Em caso de comentários preconceituosos ou ameaças a sua segurança, tire prints das postagens e entre em contato com delegacias especializadas em crimes virtuais.

Calotes de empresas

A notoriedade dos influenciadores não os deixa imunes às pessoas e empresas que não cumprem o que foi combinado. Por isso, antes de fazer uma parceria, pesquise o anunciante, veja comentários de clientes e, sempre que possível, formalize a conversa em um contrato de prestação de serviços.

Caso não exista um contrato, certifique-se de deixar documentados os e-mails e mensagens trocadas.

O que é preciso para entrar no mercado de influenciadores?

Sabia que existem algumas características necessárias para ter sucesso no mercado de influenciadores? Confira:

Autoridade

É preciso ter autoridade em um nicho ou segmento. Dessa forma, você consegue ser uma referência para quem tem interesse nos seus assuntos. Por exemplo, se você se interessa por política, por que não ser um influenciador ao opinar sobre as decisões do governo?

Autenticidade

É preciso ser autêntico, pois cópias são uma farsa e elas são fáceis de serem descobertas. Por isso, faça você as suas pautas e seja você mesmo. A falta de autenticidade dificulta a identificação do público com o conteúdo apresentado.

Criatividade

Junto com a autenticidade, tenha criatividade. Pense em algo que ainda não foi explorado ou foi pouco explorado e otimizado. Quanto mais criativo, mais fácil de ser lembrado.

Relevância 

A relevância vem com a profundidade dos assuntos apresentados. Nesse sentido, vale a pena estudar muito e pensar o conhecimento para os seus seguidores e obter relevância. 

262

Como um digital influencer ganha dinheiro?

Existem várias formas de gerar renda com sua influência online, seja direta ou indiretamente. Conheça as mais comuns:

Posts patrocinados, ou publipost

Os posts patrocinados funcionam da seguinte forma: uma empresa paga um valor e, em troca, você indica o produto ou serviço dela.

O texto do post ou o roteiro do vídeo podem ser escritos pelo anunciante, mas recomendamos que você participe ativamente do processo para que ele soe o mais pessoal e genuíno possível.

O valor dos publiposts deve ser definido pelo influenciador digital, de acordo com sua audiência, ou seja, quanto mais seguidores você tiver, mais poderá cobrar.

Apesar dos posts patrocinados serem uma prática comum, é preciso ter cuidado para recomendar produtos, e escolher apenas aqueles que você conhece e confia. Também é interessante incluir hashtags para identificar esse tipo de conteúdo, como #publipost, #jabá, entre outras.

Participação em eventos

A participação em eventos é outra forma de ganhar dinheiro com suas redes sociais, apesar de ser menos comum.

No início, a maioria dos eventos que você participará será no modelo de permuta, mas a partir do momento que você se tornar reconhecido,sua presença se tornará um ativo para empresas e marcas, o que significa que você poderá cobrar por isso.

Palestras

Se você já é uma autoridade no seu nicho, também pode oferecer consultorias e palestras sobre o tema que domina.

Esses eventos também são uma boa oportunidade para fazer conexões com outras pessoas do seu mercado e firmar parcerias de negócios com marcas.

Anúncios

Muitos influenciadores se inscrevem no Google Adsense para veicular anúncios nas suas páginas.

Cada vez que um visitante entrar em seu canal no YouTube ou em seu blog e clicar nos anúncios do Google, você receberá uma pequena quantia.

Essa é uma das formas mais simples de rentabilizar os acessos no seu site ou blog, mas para valer a pena, você precisará ter muito tráfego.

Uma dica importante: publicidades em excesso podem comprometer a experiência dos usuários, por isso, tenha cuidado para não colocar banners demais no seu blog e espantar seus seguidores.

Monetização de redes sociais

Sabia da possibilidade de monetizar seus posts em redes sociais? Existem ferramentas para ajudar a monetizar posts, vídeos e Tweets, como o Reels no Instagram e o YouTube Shorts. 

Cursos online

No mercado digital, é comum ouvir que os influenciadores que não criam produtos próprios estão “deixando dinheiro na mesa”.

Pare para pensar: você já tem um conhecimento aprofundado sobre o assunto, uma audiência interessada e experiência em falar com pessoas.

Por que não utilizar essas características para criar seu próprio curso online?

Outra pergunta importante: será que você ainda vai trabalhar como influenciador digital daqui uns anos? Afinal, estamos falando da internet, um “lugar” onde tudo está em constante mudança.

O curso online não só é uma alternativa para se manter relevante no mercado, como um modelo de negócio escalável, ou seja, você poderá vender o mesmo produto para sempre, sem gastar dinheiro a mais com a produção.

Conheça outras vantagens de vender cursos online:

Variedade de formatos

Ao criar seu curso online, você escolhe como deseja transmitir conhecimento para seu público. Seu produto pode ser um vídeo, um ebook, um audiobook ou até mesmo um serviço de assinatura.

A escolha do formato pode ou não estar alinhada com o trabalho que você já realiza como digital influencer, mas é ideal que não seja disruptiva demais, para não causar estranheza no público que já te acompanha.

Praticidade

Ao contrário dos produtos físicos, a entrega do curso online é muito mais simples e, o melhor, imediata! No mesmo momento em que o pagamento é aprovado, o comprador tem acesso ao curso adquirido, o que significa menos gastos e, principalmente, menos burocracia no processo.

Isso tudo é possível graças às plataformas de hospedagem de produtos digitais, como a Hotmart, que oferecem as ferramentas necessárias para você disponibilizar seu curso online. Esse suporte técnico te deixa “livre” para focar seus esforços na criação e divulgação do produto.

Baixo investimento

A produção de um curso online é exponencialmente mais barata do que a de materiais físicos, sem falar na facilidade de distribuição, já que os produtos digitais podem ser produzidos apenas uma vez e acessados por milhares de pessoas do mundo todo.

Aqui no blog, nós já fizemos um tutorial completo sobre como criar um curso online.

Merchandising 

Já pensou na venda de produtos personalizados, como camisetas, canecas e outros? Você pode criar camisetas das séries do momento, canecas com frases engraçadas e memes da internet e o que mais a sua criatividade mandar. 

Marketing de Afiliados

Outro modelo de negócio que pode render bons resultados para os influenciadores digitais é o Marketing de Afiliados, que consiste em anunciar produtos de terceiros no seu blog, canal ou redes sociais, em troca de comissões.

A diferença do Marketing de Afiliados para os posts patrocinados é que, no primeiro, a receita é recorrente, cada nova venda realizada por meio dos seus anúncios gera uma comissão, enquanto, no post patrocinado, você recebe um pagamento único.

>> Para entender mais sobre Marketing de Afiliados, clique aqui.

 

Quanto ganha um influenciador digital?

Mas afinal, quanto um digital influencer ganha?

Não existe um número certo, tudo depende da quantidade de seguidores que você tem nas suas redes sociais.

No entanto, já existem algumas pesquisas que mostram o valor médio que esses profissionais ganham por parceria.

Com essas informações, cabe a você decidir se vale a pena abandonar seu emprego convencional para dedicar mais tempo à internet e aos seus seguidores.

YouTube

O campeão de rendimentos é o YouTube.

Uma reportagem recente da Revista Época NEGÓCIOS mostrou que um grande digital influencer no Brasil ganha entre R$ 50 mil e R$ 150 mil por campanha no YouTube, enquanto canais menores recebem entre R$ 1 mil a R$ 5 mil.

É claro que alguns influencers estão fora da curva. Estima-se que o Whindersson Nunes, por exemplo, ganha entre R$ 200 mil e R$ 400 mil por mês com seus vídeos. 

De onde vem esse valor?

Quando você opta por monetizar seus vídeos no YouTube, a plataforma repassa:

  • 1 mil visualizações: de US$ 2 a US$ 34
  • 100 mil visualizações: de US$ 500 a US$ 2.500
  • 1 M de visualizações: de US$ 2 mil a US$ 4.000

Além disso, os youtubers também geram renda de outras formas: com vídeos patrocinados por empresas, publicação de livros, consultorias, cursos online e muito mais.

Por exemplo: um youtuber que tem um canal de culinária pode publicar um livro de receitas e conseguir um alto volume de vendas graças à influência que já possui. Ou criar um curso online com receitas exclusivas!

Confira mais em nosso Hotmart Tips sobre o tema:

 

Instagram

No Instagram, os cachês são negociados a partir do CPM (custo por mil impressões). Estima-se que um usuário com mais de 100 mil seguidores na rede pode receber entre 5 mil e 10 mil reais por anúncio patrocinado.

Esse valor é incrementado se o influencer fizer mais de um post, utilizar hashtags, gravar vídeos na função stories etc.

Descubra mais sobre como ganhar dinheiro no Instagram em nosso ebook gratuito:

262

TikTok

Hoje, as estrelas do TikTok pedem até meio milhão de dólares por uma postagem na plataforma, mas muitos ganham em média 100 mil, mais que o dobro que os números de 2020, época de lançamento do app, segundo a Forbes.

O próprio TikTok paga entre 2 a 4 centavos por mil visualizações, mostrou o site Paribar. Parece pouco, mas é possível ganhar dinheiro no Tik Tok.

Twitter e Facebook

A Bloglovin, agência de publicidade de Nova York, fez uma pesquisa com 2.500 influenciadores norte-americanos e descobriu que:

  • 90% dos entrevistados cobram menos de US$ 250 por post no Facebook.
  • No Twitter, 96% dos influenciadores cobram menos de US$ 100 por post.

Não existem números sobre os influenciadores brasileiros, mas é possível extrair uma média a partir dos dados acima.

Considere sua quantidade de seguidores e o engajamento da sua audiência na página (likes, compartilhamentos etc.) para encontrar um valor que seja atrativo tanto para você quanto para o anunciante.

Blog

De acordo com o site Dummies, influenciadores digitais podem ganhar entre US$ 175 e US$ 5.000 + por postagem patrocinada.

Assim como nas redes sociais, o valor varia conforme o volume de visitas do blog, como mostra o gráfico abaixo:

  • 10.000 a 50.000 visitas mensais: US$ 175 a US$ 250 por post
  • 50.000 a 100.000 visitas mensais: US$ 250 a US$ 500 por post
  • 100.000 a 500.000 visitas mensais: US$ 500 a US$ 1.000 por post
  • Mais de 500.000 visitas mensais : US$ 1.000 a US$ 5.000+ por post

Quer escalar a sua estratégia de conteúdo para blog? Então toque no botão abaixo e faça o download gratuito da Bíblia dos Blogueiros!

262

Como ser um influenciador digital?

Se você leu até aqui, certamente, está considerando a possibilidade de trabalhar como influenciador digital.

Afinal, esse mercado vem apresentando tendências crescentes. Confira os dados sobre o mercado de influenciadores digitais no Brasil baixando nosso infográfico gratuito:

262

Mas saiba que não é uma profissão tão simples quanto parece, você precisará criar um conteúdo relevante e conquistar a simpatia de muitas pessoas, até que as marcas comecem a te notar.

Ao contrário do que muitos imaginam, ser um influenciador digital não depende de sorte, mas de dedicação e sabedoria para explorar boas oportunidades.

Para isso:

1. Defina bem seu nicho de mercado

Com o aumento do número de influenciadores, escolher um nicho é a melhor forma de ser bem-sucedido nesse mercado.

Pode parecer contraintuitivo, afinal, você está limitando sua audiência. Mas escolher um tema para se especializar ajuda a criar um conteúdo mais assertivo e personalizado.

A escolha do nicho também possibilita que você seja abordado apenas por marcas que tenham interesse no seu trabalho.

O canal Her Mother é um exemplo de um canal que foi criado para uma audiência específica: pessoas que desejam saber mais sobre os desafios da maternidade.

Captura de tela do canal do YouTube Hel Mother

2. Entenda as dores de seu público

Após escolher seu nicho, é muito importante que seus conteúdos solucionem uma dor de seu público e que tratem de temas específicos que a audiência realmente está procurando na internet.

Por exemplo, se você criar um blog sobre veganismo, entenda quais são as dores e desejos de suas pessoas sobre o assunto. Mas não tire isso da sua cabeça!

Existem muitas ferramentas na internet, como o Google Keyword Planner e o Answer the Public, que podem te ajudar a entender as necessidades de seu público e as palavras-chave que eles estão procurando nos motores de busca (como o Google e o YouTube).

Fazer uma boa pesquisa de palavras-chave vai garantir que seu conteúdo seja encontrado na internet e que ele seja, de fato, relevante. O que nos leva ao próximo tópico deste post!

3. Crie conteúdo de qualidade

Para ser um influenciador, não basta apenas tirar fotos bonitas.

É claro que as imagens e vídeos bem produzidos chamam a atenção do público, mas se você não entregar algum valor nas suas postagens, com o tempo, as pessoas vão parar de te seguir.

Para isso, uma boa estratégia é ficar de olho em seus concorrentes e sempre oferecer algo ainda mais rico para sua audiência, pensando em conteúdos que façam você se destacar dos outros criadores.

4. Seja consistente nas suas postagens

Na internet, tudo muda o tempo todo.

Por isso, você não pode contar que o mesmo conteúdo que postou hoje permanece relevante por muito tempo.

É preciso criar algo novo, constantemente, para que as pessoas não se esqueçam de você.

A consistência nas postagens também é fundamental para atender as demandas da sua audiência no momento que ela manifesta problemas e, com isso, construir um relacionamento de confiança.

Essa confiança será útil mais tarde, quando você for anunciar um produto ou serviço.

Atente-se às tendências e aproveite as novidades para criar conteúdo relevante. Além disso, uma boa dica é ter um calendário editorial e uma frequência fixa de publicações.

5. Interaja com seu público

Ser um digital influencer vai muito além de postar conteúdo. A conexão com o público é um dos fatores mais importantes para que as pessoas confiem em você e te considerem, de fato, alguém influente.

Para isso, use e abuse de algumas ferramentas e funcionalidades que facilitam a interação com seus seguidores:

  • Aposte nos Stories do Instagram: faça enquetes, abra caixinhas de perguntas, responda os directs e grave vídeos falando sobre os assuntos pedidos pelos seus seguidores.
  • Faça lives: as lives são ótimas para interagir em tempo real com seus seguidores, já que eles podem enviar perguntas e é possível responder de forma instantânea. Pode ser feita no Instagram, no YouTube e no Facebook.
  • Responda aos comentários em seu canal de YouTube, blog ou redes sociais.

6. Entre em contato com marcas locais

Nem sempre as grandes empresas vão encontrar seu perfil. Por isso, você deve criar uma relação comercial com marcas locais para reforçar seu portfólio de serviços.

Tire pelo menos trinta minutos do seu dia para entrar em contato com esses anunciantes e propor parcerias.

Muitas vezes, essas empresas vão querer saber mais sobre você.

Tenha sempre um mídia kit atualizado para enviar, incluindo os formatos de parceria e os valores que você cobra por post. Isso passará uma imagem mais profissional.

E, falando em profissionalismo, é importante que seu contato com essas marcas também seja adequado.

Verifique quais os meios de contato a marca visada disponibiliza. Se há um contato de e-mail, utilize esse meio e evite mandar inbox nos perfis das redes sociais.

Dica Bônus: tenha paciência e continue sempre estudando e se especializando!

Apesar de tudo acontecer mais rápido na internet do que no mundo offline, é preciso ter paciência para construir uma base sólida de conexões.

Os profissionais de mídia não são bobos, eles percebem quando um influenciador pode trazer retorno financeiro para a marca que eles representam.

Portanto, não use recursos como compra de seguidores e troca de likes, esse tipo de prática é mal vista pelo mercado e pode te fazer perder vários contratos de trabalho.

Não se preocupe apenas em aumentar a quantidade de seguidores, mas foque em construir conexões com essas pessoas.

Estude, aprenda com outros influenciadores e continue sempre se especializando.

5 dicas para ter sucesso como digital influencer

Tornar-se uma autoridade não acontece da noite para o dia, mas existem algumas ações que você pode fazer para acelerar o processo.

1. Faça collab com outros influenciadores

As collabs são uma ótima opção para atrair visibilidade para seu canal e encontrar seguidores que tenham interesse pelo assunto que você aborda e vice-versa.

Collab é quando dois ou mais digital influencers se juntam para fazer uma ação de colaboração juntos, seja em vídeo, fotos ou post, a fim de gerar mais exposição para cada um.

Procure Youtubers, Instagramers ou blogueiros que falem para o mesmo nicho que o seu, e proponha a criação de conteúdos em conjunto.

Vocês podem gravar vídeos para os dois canais, fazer um editorial de fotos, explorar novos formatos, e testar a recepção da audiência de cada um.

O mágico Pyong Lee, que foi um dos palestrantes do FIRE 2017, falou que teve um crescimento de mais de 100% da audiência do seu canal, em um mês, usando essa estratégia.

Ao criar conteúdos colaborativos, combine com o outro influencer que cada um deve recomendar o canal do outro ou inserir cards no vídeo, para que o esforço dos dois gere resultados em números.

É interessante enfatizar que você pode se juntar a outros influenciadores que também estão começando. Não é preciso ter milhões de seguidores para fazer esse tipo de parceria.

Lembre-se, quando você está começando nesse negócio, o mínimo de exposição já é interessante.

Exemplo de collab entre influenciadores

Exemplo de collab

2. Participe de Tags e desafios

As tags funcionam como uma espécie de jogo virtual, geralmente, de perguntas e respostas, como, por exemplo: “50 fatos sobre mim”, “Confissões de uma apaixonada por sapatos”, entre outras. Elas são criadas por um usuário específico, mas podem ser respondidas por qualquer um.

Exemplo de Tag "Confissões de uma viciada em sapatos"

Exemplo de Tag “Confissões de uma viciada em sapatos”

Por que é bom participar de tags?

Dessa forma, o seu vídeo pode aparecer na barra de relacionados de um grande influenciador. O vídeo tageado também é mais fácil de ser localizado por usuários que estiverem pesquisando o assunto na barra de buscas do YouTube.

3. Deixe seu call to action claro

Todo conteúdo é criado com uma finalidade: atrair visibilidade, reforçar autoridade, conquistar seguidores, vender um produto, e por aí vai. Mas, para isso, seus seguidores precisam saber qual é seu call to action (CTA).

Você já está familiarizado com o conceito?

O call to action é a chamada para ação que, em poucas palavras, resume o que você espera que sua audiência faça depois de ver seu vídeo ou ler seu texto.

Se seu intuito é aumentar a visibilidade do seu canal no YouTube, é preciso pedir para as pessoas se inscreverem, darem um like no vídeo ou ativar as notificações no canto direito da tela.

Embora possa parecer chato, é esse tipo de engajamento que vai gerar renda para você.

Mas lembre-se de gerar valor antes de fazer esse pedido, e tome cuidado para não ser inconveniente com seu público.

4. Dedique-se exclusivamente a essa atividade

No início, suas redes sociais podem ser um hobby, mas conforme elas começarem a gerar renda, você precisará dedicar-se 100% a essa atividade.

Não basta apenas produzir o conteúdo e postar nas redes, também fará parte das suas atribuições: responder comentários, fazer pesquisas de tendência, analisar o mercado, fechar parcerias com lojas e marcas, gravar vídeos, editar conteúdos, enfim, é muita coisa! E se você não levar essas atividades a sério, o resultado final será comprometido.

Comece a reparar nas postagens antigas de grandes influenciadores.

Percebe que elas melhoraram muito com o tempo, seja pela qualidade das fotos ou pelo tipo de conteúdo abordado?

Esse tipo de trabalho contínuo é o que vai assegurar sua longevidade como digital influencer.

5. Agências de influenciadores

Dependendo do tamanho da sua base, você precisará de ajuda para realizar seu trabalho.

Atualmente, existem empresas que se dedicam, exclusivamente, ao agenciamento de influenciadores digitais.

O trabalho dessas agências consiste em intermediar o relacionamento entre marcas e influencers, cuidar de toda a parte burocrática envolvida nas parcerias de negócios e dar assessoria de imprensa.

Elas podem ser contratadas para uma demanda específica ou para cuidar de todos os compromissos profissionais do digital influencer.

Independentemente do tempo de contrato, é papel desses profissionais assegurar que as relações comerciais estabelecidas entre marca e influenciador sejam benéficas para as duas partes e possam trazer retorno tanto financeiro como em visibilidade.

Contratar uma agência pode ser interessante para os influenciadores que já tenham mais de 100 mil seguidores nas redes, e demandas recorrentes para parcerias e participação em eventos. Até lá, seguir nossas dicas à risca já vai te ajudar muito!

>> Conheça os nano influencers, a nova aposta do marketing de influência!

Tudo pronto para ser Digital influencer?

A evolução do smartphone mudou radicalmente a forma como nos comunicamos e consumimos informação.

Nos dias de hoje, as pessoas são mais impactadas por vídeos na internet do que pelo marketing tradicional, e cada vez mais marcas estão procurando influenciadores digitais para serem embaixadores dos seus produtos ou serviços.

Ao mesmo tempo que esse crescimento é bom, ele também significa mais concorrência.

Por isso, é essencial pensar novas formas para atrair uma audiência qualificada para suas redes sociais, que te permitam gerar renda com seu trabalho.

O desafio aqui é encontrar o equilíbrio entre um tema que te agrada e que seja do interesse de várias pessoas para transformá-lo em um conteúdo que gere impactos positivos na rede que você está construindo.

Não existe receita de bolo, mas investir na qualidade do conteúdo e manter contato diário com seus seguidores são fatores essenciais para todas as pessoas que desejam se tornar um digital influencer.

Esperamos que este conteúdo tenha tirado suas dúvidas sobre o assunto!

Você está pensando em começar a carreira de influenciador digital agora? Aprenda dicas de sucesso para vender no Instagram.


Este post foi originalmente publicado em agosto de 2017 e atualizado para conter informações mais completas e precisas.