Início / Blog / Metaverso: o que é e como ele vai impactar os negócios digitais
Fechar

Metaverso: o que é e como ele vai impactar os negócios digitais

Saiba tudo sobre o metaverso, realidade que vai transformar todos os negócios digitais da atualidade e do futuro!

Metaverso - ilustração de uma pessoa usando um óculos de realidade virtual sobre um fundo azul

Descubra tudo sobre o metaverso, suas curiosidades, características e as formas como ele vai transformar a comunicação digital!

Desde o final de 2021, o termo “metaverso” se tornou um dos mais buscados do mundo. Tudo graças ao anúncio de Mark Zuckerberg, empresário dono do Facebook, que mudou o nome de sua rede de empresas para Meta, em referência ao conceito do metaverso.

Porém, essa revolução tecnológica representada pelo metaverso não é algo que foi criado apenas em 2021. Há algum tempo, as empresas e profissionais da tecnologia estão desenvolvendo ideias que estão construindo esse futuro e que devem transformar a comunicação nos próximos anos.

Abaixo, vamos explicar o que é o conceito do metaverso, como ele surgiu e qual a sua maneira de funcionar na prática.

Confira!

Post index MenuÍndice
O que é metaverso? Como o metaverso surgiu? Como o metaverso funciona? Quais as aplicações do metaverso? Como entrar no metaverso? 3 empresas que já apostaram no metaverso
Voltar ao Índice

O que é metaverso?

Em linhas gerais, podemos classificar o metaverso como uma espécie de evolução da internet atual. É a transformação dos ambientes digitais em que interagimos para algo mais imersivo e conectado.

O metaverso é um ambiente virtual realista com foco na imersão. A ideia é que cada usuário esteja usando um avatar 3D customizado, participando de espaços que simulam a nossa vivência por meio da realidade virtual, estimulando os sentidos humanos.

Assim, criamos um mundo virtual que funciona como uma espécie de simulação, repleta de hologramas, que vai transformar a forma em que experienciamos shows, reuniões e até mesmo encontros românticos.

Porém, é importante destacarmos que o metaverso ainda não é totalmente possível na atualidade. Algumas tecnologias e aspectos já existem, mas muita coisa precisa ser criada para podermos construir um ambiente virtual integrado de acordo com esse conceito.

Como o metaverso surgiu?

A primeira menção ao metaverso registrada aconteceu no livro “Snow Crash”, de Neal Stephenson, publicado em 1992. Na obra, o autor descreve o metaverso como um universo em que as pessoas interagem por meio de avatares 3D.

A partir daí, outras obras exploraram o conceito do metaverso de maneiras diferentes, como foi o caso do livro “Ready Player One”, de 2011, escrito por Ernest Cline e adaptado aos cinemas por Steven Spielgerg em 2018, que explora o conceito por meio dos games.

Games da vida real também brincaram com essa ideia de avatares 3D customizados interagindo em uma outra realidade, como é o caso das franquias The Sims e Second Life. Hoje, até jogos mais atuais, como Fortnite e Minecraft, exploram esse conceito.

Porém, como ressaltamos anteriormente, nenhuma dessas iniciativas é de fato o metaverso que teremos no futuro. 

São conceitos ainda primários em relação ao que está por vir, que envolve toda uma experiência imersiva que se conecta aos sentidos humanos, algo diferente de simplesmente criar um avatar 3D em um game.

Como o metaverso funciona?

O metaverso ainda não existe na totalidade, pelo menos não da forma em que Zuckerberg descreve o conceito e como especialistas da tecnologia projetam. 

A ideia final é que as pessoas de fato vivam em uma realidade virtual, indo à escola e ao trabalho por meio do metaverso e interagindo o tempo todo em um mundo conectado. 

Ainda não chegamos lá, porém, já conseguimos sentir um gosto desse novo mundo por meio de algumas tecnologias criadas, especialmente com o uso dos óculos de realidade virtual.

Para te ajudar a entender como experimentar esse novo mundo, vamos falar sobre as principais tecnologias que se relacionam ao metaverso. Veja mais abaixo!

Realidade Aumentada (AR)

A tecnologia de realidade aumentada (AR) consiste na inserção de elementos e informações virtuais em nosso mundo real.

Geralmente isso ocorre por meio da câmera do celular, que é usada para criar uma interação entre aplicativos e ambientes que existem.

Um bom exemplo de realidade aumentada que se tornou popular é o jogo Pokémon GO, que usa mapas reais para criar os caminhos do aplicativo. Além disso, é possível usar a câmera do celular para capturar Pokémons em nossos ambientes, criando uma interação.

Realidade Virtual (VR)

A realidade virtual (VR) é uma tecnologia que, de certa forma, faz o oposto da realidade aumentada. Seu objetivo é transportar o usuário para um ambiente virtual, similar à nossa realidade, mas que só existe digitalmente.

Essa tecnologia cria um ambiente especial em 3D, que só pode ser acessado com o uso de um óculos especial, fones de ouvido e sensores.

Diversos games, ou até mesmo espaços de entretenimento, como museus, já usam essa tecnologia para proporcionar uma experiência imersiva para as pessoas.

Blockchain, criptomoedas e NFT

Outras tecnologias muito relacionadas ao metaverso são as que envolvem transações digitais de criptomoedas, como blockchain e NFT.

Criptomoedas, como o próprio nome já diz, são moedas que existem apenas digitalmente. A mais famosa delas é o bitcoin.

Blockchain é o nome dado ao sistema que permite que as criptomoedas sejam utilizadas de forma segura. Ele funciona como uma espécie de banco de dados, tanto para informações quanto para ativos digitais.

Por fim, temos o conceito de NFT, que se popularizou bastante nos últimos tempos. Esse é o nome dado a um código digital que valida um arquivo, garantindo que ele é único. No contexto do metaverso, seria uma forma de garantir a validade de produtos digitais, como móveis e outras posses.

Quais as aplicações do metaverso?

O metaverso é um conceito com possibilidades infinitas, que vão proporcionar milhões de aplicações diferentes, em diversos âmbitos da experiência humana.

No aspecto econômico, mudará totalmente a nossa realidade, criando uma economia que existe em um mundo digital, com imóveis, móveis, produtos e serviços totalmente virtuais, que podem ser comercializados com o uso de criptomoedas.

Ambientes educacionais podem ser criados, indo além da experiência atual de educação à distância. Empreendedores podem criar cursos online que acontecem por meio de uma experiência imersiva. 

No marketing, teremos ações completas dentro do metaverso, com divulgações de produtos exclusivos que estarão fora do alcance da internet tradicional.

Até mesmo áreas mais tradicionais serão transformadas. Imagine uma consulta médica por meio do metaverso? 

Como entrar no metaverso?

Mas como entrar nas experiências de metaverso que temos atualmente?

Existem algumas alternativas de mercado que já estão disponíveis, como é o caso dos jogos Roblox e Fortnite. No caso do primeiro, é possível criar o seu próprio mundo 3D usando Roblox Studio.

Há também outras iniciativas, como o Decentraland e o Sandbox. A experiência Sandbox é uma versão bem curiosa do metaverso, que já conta até mesmo com sua própria moeda virtual, a SAND.

Para entrar em qualquer uma dessas experiências citadas, é necessário entrar no site de cada plataforma e baixar o programa para o seu computador. 

As exigências mudarão de acordo com cada experiência, mas geralmente, você precisará de uma conexão estável (preferencialmente 5G), óculos de realidade virtual e uma carteira de criptomoedas.

3 empresas que já apostaram no metaverso

Para ilustrar o que representa a novidade do metaverso, listamos 3 empresas que já fizeram o uso dessa tecnologia em suas ações de marketing e entretenimento com os usuários. Veja abaixo!

1. Fortnite

O Fortnite, jogo gerenciado pela empresa Epic Games, já explora o metaverso há alguns anos. Em 2020, o game transmitiu um show exclusivo do rapper americano Travis Scott, que ocorreu dentro do metaverso e foi assistido por mais de 12 milhões de pessoas.

A iniciativa da empresa foi replicada no Brasil, com o rapper Emicida, que também fez um show dentro do metaverso.

2. Louis Vuitton

Para comemorar o aniversário de 200 anos do fundador da marca, a Louis Vuitton criou uma experiência exclusiva no metaverso, chamada “Louis: The Game”.

No jogo, os usuários navegavam para coletar NFTs, que contavam um pedaço da história do fundador da empresa.

3. Tinder

Outra marca de sucesso que se aventurou no metaverso foi o Tinder, app de relacionamentos mais famoso do mundo. 

A empresa fez uma parceria com o servidor Cidade Alta, do game GTA V, para criar um festival de música para os jogadores, com missões exclusivas, prêmios e toda a ambientação do Carnaval.

Dentro da experiência, chamada de “CarnaTinder – Adventures Inc”, era possível dar “match” com os usuários.

O metaverso é o futuro dos negócios digitais?

Apesar de ainda não estar totalmente difundido e viabilizado, o metaverso já é o futuro dos negócios digitais. 

As novas tecnologias prometem mudar não só a forma em que o mercado funciona, mas também a própria experiência humana na Terra.

Estar atento às novas tecnologias é algo essencial para qualquer pessoa, especialmente para quem trabalha com a internet e com o marketing digital

Para ficar ainda mais por dentro do assunto, confira o nosso conteúdo sobre inovações tecnológicas!