Início / Blog / Descubra os pontos fortes e oportunidades do seu negócio com a Análise SWOT
Fechar

Descubra os pontos fortes e oportunidades do seu negócio com a Análise SWOT

Você sabe o que é a análise SWOT? Saiba como usar essa ferramenta para identificar as melhores oportunidades para o seu negócio!

Ilustração de uma pessoa apontando para um quadro com a palavra SWOT escrita em caixa alta

Aprenda a identificar os pontos fortes e fracos de seu negócio com a Análise SWOT (ou FOFA)!

A análise SWOT é uma das mais usadas no mundo dos negócios, seja por Produtores ou profissionais de Marketing. Tal metodologia envolve, principalmente, a avaliação de diferentes cenários para o planejamento estratégico de projetos – em curto, médio ou longo prazo.

A SWOT, ou FOFA — como é chamada no Brasil — auxilia na tomada de decisões mais assertivas por parte de negócios que desejam começar a elaborar projetos.

Sendo assim, ao implantar esse processo, é preciso levantar várias características de um negócio, e até de seus concorrentes. Ou seja, quanto mais detalhado for, maior será a assertividade da decisão.

Quer aprender mais sobre o assunto? A Hotmart te ensina! Continue a leitura e entenda como aplicar a análise SWOT no seu negócio.

Confira o que você vai aprender neste artigo:

Post index MenuÍndice
O que é análise SWOT? Para que serve a análise SWOT? Quem pode fazer uma análise SWOT? Quais os fatores da análise SWOT? Quais as vantagens de fazer uma análise SWOT? Como fazer uma análise SWOT para o seu negócio? Como funciona uma análise SWOT na prática? Como avaliar os resultados da análise SWOT? Como fazer uma análise SWOT para pessoas?
Voltar ao Índice

O que é a análise SWOT?

SWOT é a sigla usada para descrever a análise de Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças). Em português, também chamamos essa ferramenta de FOFA.

Cada palavra serve de guia para o que vai ser preciso detalhar. Portanto, começamos pelas fraquezas e forças no aspecto interno, ou seja, do seu negócio, setor ou projeto — esses fatores, na maioria das vezes, estão sob o seu controle.

As oportunidades e ameaças são fatores externos, porque englobam análise de mercado, concorrentes, fornecedores, mas também aspectos políticos, econômicos, sociais e culturais.

Atualmente, acredita-se que o consultor estadunidense, Albert Humphrey, foi quem mostrou esse método, em 1960, ao ser integrado num projeto idealizado pela Universidade de Stanford, da Califórnia. Como a maioria das ferramentas para negócios, o SWOT passou por transformações até se tornar popular.

Além de ser simples e fácil de ser aplicada, realizar uma análise SWOT se relaciona com o planejamento estratégico da gestão de projetos. Ou seja, ela é usada para analisar cenários reais e projeções para construir e alinhar tomadas de decisão.

Normalmente, é um processo relacionado à descoberta de impactos diante de uma decisão para um negócio — além de ser algo de interesse para administradores e profissionais de marketing digital.

Ao investigar as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, você consegue obter um diagnóstico completo da situação da organização, para amenizar os riscos e aproveitar boas oportunidades.

262

Para que serve a análise SWOT?

A análise SWOT, ou análise FOFA, serve para orientar pontos fortes, fracos, ameaças e oportunidades do Produtor. Ou seja, ela ajuda a entender o processo de tomadas de decisão em qualquer ambiente, já que pode proporcionar uma visão ampla do cenário, da situação e dos concorrentes.

A ideia da ferramenta é, sobretudo, identificar o que você pode potencializar – e, além disso, os fatores que você deve monitorar, para que eles não comprometam seu negócio. Isso pode proporcionar um conhecimento mais detalhado e, com isso, pode auxiliar a sua empresa a antecipar as possíveis surpresas que, em alguns contextos, não foram planejadas.

Se você tem alguma dúvida sobre qual caminho seguir, opte por essa análise. Pois, além de ser muito precisa, também é de fácil aplicação. É por sua facilidade de aplicação, e também da possibilidade de ser objetiva e funcional,  que a análise SWOT ganhou destaque e passou a ser utilizada por empresas de nichos e estruturas diferentes.Quem pode fazer uma análise SWOT?

A análise SWOT pode ser feita por profissionais de diversas áreas, isto é, colaboradores que desempenham diferentes funções em uma organização. 

Como é uma técnica de resultados amplos, que são consideráveis pela perspectiva da área administrativa e da comunicação, é muito utilizaa por profissionais da área de gestão ou marketing.

Portanto, os Produtores(as) , além de gestores e outros perfis, podem ganhar informações e insights relevantes a partir  da análise SWOT.

Também é um recurso muito útil para Produtores(as) individuais que estão começando um negócio e, de alguma maneira, precisam entender qual é a perspectiva do mercado atual.

Quais os fatores da Análise SWOT?

No tópico anterior, falamos brevemente sobre os aspectos internos e externos da matriz SWOT. Vamos entrar em mais detalhes sobre esses aspectos, além de mostrar o que podem representar na análise final do SWOT. Vamos lá? 

Fatores internos

Os fatores internos são aqueles que temos controle, como: a tecnologia utilizada, a comunicação, a cultura organizacional, e outros. Aqui, devemos apontar as forças e as fraquezas. Para oss critérios que produzem um ambiente interno, temos: 

  • reputação;
  • gestão de pessoas e processos;
  • recursos;
  • localização;
  • ações de marketing;
  • ativos (ex.: imóveis, maquinário, e outros); 
  • produção;
  • atendimento ao cliente;
  • operação.

Para analisar as forças da sua organização, busque refletir sobre os pontos a seguir: por que meus clientes me escolheram para fazer negócio? Qual é a quantidade de recursos que eu possuo e consigo destinar para a produção e manutenção do meu serviço ou produto? O que me torna diferente de outros concorrentes que atuam no mesmo nicho?

Ao considerar as fraquezas, você pode analisar algumas falhas no seu negócio, como: custos elevados com operação, alta taxa de rotatividade de colaboradores, atrasos, nível da sua imagem no mercado, poucos recursos, e mais. 

Fatores externos

Esse é o momento em que falamos sobre os concorrentes, questões políticas, culturais, sociais, desastres ambientais e economia.

É preciso se atentar aos fatores externos, já que podem sair do seu controle. É preciso saber agir diante dos contratempos, de modo que possa minimizar perdas. Por isso, ao preencher as lacunas de oportunidades e ameaças, você deve atualizá-las constantemente. 

O fator externo do SWOT envolve o micro e o macroambiente, fala sobre as forças da sua área de atuação, além da forma com a qual você se relaciona com elas. 

No microambiente, as oportunidades e as ameaças podem ser encontradas nos lugares abaixo:

  • clientes e seus comportamentos;
  • fornecedores e o seu poder de negociação;
  • concorrentes: a quantidade de lojas na sua região e o nível de concorrência entre vocês;
  • soluções alternativas para o produto (ou serviço) oferecido por você.

Já o macroambiente, busca abranger o que está além da organização e seu segmento. Como assim? Bom, estamos falando sobre a economia do país e do mundo, tendências de comportamento da população, desastres naturais e, além disso,  como isso pode influenciar uma organização. Para entender melhor, confira alguns exemplos:

  • política: novas leis e governantes com suas ideologias;
  • economia: inflação, reajuste do salário mínimo e poder de compra;
  • demografia: o crescimento da população e a escolaridade;
  • cultura: crenças, hábitos de consumo e valores;
  • meio ambiente: desastres naturais, aumento da poluição, escassez de matéria-prima, e mais.

Depois de detalhar as oportunidades, indique as mudanças de mercado que podem beneficiar tanto você quanto seu cliente (ex.: aumento do poder de compra). 

Para as ameaças, considere os fatores que podem, de alguma forma, prejudicar o seu negócio, como: novos projetos de lei, aumento da inflação, e outros.

Quais as vantagens de fazer uma Análise SWOT?

Além de viabilizar uma análise interna e externa, a metodologia SWOT possui outros benefícios. 

Insights sobre problemas da organização

Em alguns contextos, você pode identificar problemas camuflados no seu setor, negócio ou projeto. Às vezes, você nem sabia que eles existiam! Mas, por meio de uma análise FOFA, você consegue adquirir insights para solucionar pontos que precisam de uma maior atenção. 

Melhoria de processos e produtos

Melhorar o produto (ou serviço) oferecido é, sem dúvidas, um dos grandes desejos por parte de Produtores(as), certo? A partir daqui, se você já tem as informações necessárias para aplicar o método, você pode identificar melhorias para potencializar seu produto, ou até mesmo os processos internos. 

Oportunidades para criar novos produtos

A inovação também é uma grande ideia. A partir dos insights que a matriz SWOT oferece, o Produtor (ou Creator) é capaz de desenvolver ideias concretas para mapear e criar novos produtos e serviços.

Para levar inovação para o própio negócio, muitas pessoas pensam que é preciso investir altos recursos e utilizar tecnologia de ponta, porém, a matriz prova que isso não funciona assim. Quer dizer, no desenvolvimento de novos produtos, toda etapa pode ser considerada uma forma de inovação. Portanto, é preciso considerá-las em cada momento dos processos. Ok?!.

Auxílio na tomada de decisão

Com todas as informações relevantes sobre a sua organização e sobre os fatores externos, a tomada de decisão torna-se um processo com maior propósitoo. 

Priorização de ações

Finalizou sua análise? Agora, você consegue identificar quais ações precisam ser priorizadas para atingir o objetivo inicial. Portanto, desenvolva planos e delegue tarefas, porém, sem deixar de priorizar as demandas que são mais importantes para determinado momento. 

Análise de estratégias já realizadas

A matriz SWOT não auxilia apenas frente às soluções futuras. Isso porque ela também permite avaliar processos já iniciados, além de entender quais podem ser reajustados, pausados ou replicados.

Como fazer uma análise SWOT para o seu negócio?

Essa é uma ferramenta muito simples de ser utilizada. Existem, inclusive, muitas opções gratuitas e disponíveis na internet. Caso seja de seu interesse, você também pode criar sua matriz SWOT manualmente ou, se preferir, a partir das ferramentas de edição.

Para começar a fazer uma análise SWOT, ou análise FOFA, você precisa conhecer profundamente seu negócio. Antes de começar, faça uma lista com o panorama geral, isto é, no qual sua empresa está inserida: ou seja, os pontos fortes e fracos que podem te atrapalhar ou ajudar diante da concorrência.

Lembre-se: a sua empresa tem a responsabilidade de eliminar um ponto fraco ou melhorar um ponto forte.

Antes de colocar as variáveis na matriz, confira o que é essencial para que uma empresa faça sucesso no seu nicho de atuação, ou seja, descreva quais elementos são essenciais para alcançar sucesso no seu setor.

Passo a passo para criar sua matriz:

Primeiramente, crie uma tabela com duas linhas e duas colunas, como na imagem abaixo:

Análise SWOT: exemplo de uma matriz de análise swot

Para efetuar uma análise SWOT (ou FOFA), é necessário analisar os pontos que são importantes para identificar as forças e fraquezas de seu negócio. Por exemplo:

  • localização;
  • experiência de mercado;
  • metodologia;
  • reputação (o que os consumidores e os concorrentes estão falando sobre sua marca);
  • logística.

Já as oportunidades e ameaças, neste caso, referem-se ao que está fora de seu controle. Isso é, nenhuma ação da empresa pode influenciar, já que é uma característica do mercado em que você já atua ou pretende atuar.

Existem dois ambientes externos que a análise SWOT identifica: o micro e o macroambiente. Observando essas variáveis, é necessário observar tendências de mercado e se preparar para lidar melhor com elas.

No microambiente, é preciso avaliar o comportamente de seus concorrentes, clientes e fornecedores.

Por outro lado, no macroambiente estão todos os fatores ambientais que estão fora de seu nicho de atuação, ou seja: decisões políticas, econômicas e o comportamento da sociedade devem ser o ponto central durante sua análise.

Como funciona a análise SWOT na prática?

Para te ajudar a entender como funciona a análise SWOT, vamos dar o exemplo fictício do João, um guia turístico de 39 anos. Além disso, João atua na região central de Minas Gerais.

O sonho dele é criar um curso online de gastronomia. Com isso, João pretende difundir a culinária local e, claro, garantir a satisfação pessoal e sucesso profissional.

Vamos acompanhar sua análise?

Forças (Strengths)

Como mencionamos, ao avaliar as forças e fraquezas, você deve pensar nos fatores que estão relacionados ao sucesso do setor que você quer prosseguir.

No nosso exemplo, o conhecimento sobre as gastronomias locais, além da profunda compreensão de como seus clientes se comportam, com certeza são as maiores forças do João.

Fraquezas (Weakness)

Porém, embora João queira atuar no mercado de cursos online, ele ainda não tem experiência no ambiente digital. Portanto, nessa área de atuação, a falta de know-how é seu ponto fraco.

Além disso, para oferecer cursos online, João teria que possuir equipamentos adequados para gravar suas aulas, além de uma plataforma para divulgá-las na internet.

O ideal, nessa parte, é ele já imaginar as possíveis parcerias que poderão suprir essas fraquezas.

Oportunidades (Opportunities)

Lembre-se: as oportunidades e ameaças não estão ao alcance dos Produtores(as).

Podemos colocar como oportunidade, então, o interesse atual da sociedade por viagem e gastronomia, principalmente de pessoas com um poder aquisitivo considerável, que, normalmente, poderiam estar dispostas a pagar pelas aulas do João.

Outra oportunidade que deve ser considerada: a popularização da educação à distância (também conhecida como EAD), que poderia garantir a possibilidade de atrair uma quantidade maior de público para o negócio de João.

Ameaças (Threats)

Como a gastronomia está na moda, já existem vários blogs e canais sobre o assunto. São formatos que oferecem conteúdo gratuito e, por vezes, de qualidade. Por isso, a concorrência pode ser muito acirrada e representar uma ameaça para o negócio do João.

Nesse caso, o que ele pode fazer, por exemplo, é estudar o mercado para encontrar uma forma diferente para construir conteúdo valioso na internet. Ou, em outros casos, os canais de divulgação que podem ajudá-lo a vencer a concorrência.

Como avaliar os resultados da Análise SWOT?

Após finalizar a análise SWOT, o ideal é fazer uma profunda avaliação de cada tópico relacionado ao seu negócio. Dessa forma, a ferramenta te ajudará na tomada de decisões mas adequadas e precisas.

Com a análise SWOT (FOFA) pronta, é hora de transformá-la em ações e estratégias!

O ideal é entender como as variáveis funcionam: forças, fraquezas, ameaças e oportunidades se relacionam para você maximizar seus bons resultados e minimizar suas desvantagens.

Forças + Oportunidades

Aqui, o ideal é pensar nas forças de seu negócio como potenciadoras de oportunidades.

No caso do curso de gastronomia online, o conhecimento de culinária e comportamento dos clientes fortalece a oportunidade de entrar num mercado que valoriza a experiência com as culturas locais.

Assim, como diferencial, o João poderia usar sua atuação como guia turístico para atrair seu público de interesse.

Forças + Ameaças

Em nosso exemplo, a experiência de João – enquanto guia turístico – pode reduzir a ameaça de entrar num mercado com forte concorrência, uma vez que ele já sabe o que esse público espera de um curso de gastronomia.

Nesse caso, uma estratégia importante seria usar seu nome como marca para quem já é cliente ou já o conhece ter a oportunidade de comprar seus cursos de gastronomia online.

Fraquezas + Ameaças

No caso do João, a falta de conhecimento em cursos online e o fato de não ter equipamento para a gravação de seus materiais, combinado com a ampla concorrência de conteúdo sobre gastronomia na internet, podem ser um grande problema.

Existe um caminho possível para mudar essa situação. João pode criar um MVP de seu produto, por exemplo, que é como se fosse uma versão mais simples de sua ideia, mas com todos os recursos que precisa para se tornar funcional.

(Veja nossas dicas para criar um curso online gastando pouco.)

Fraquezas + Oportunidades

Para transformar as fraquezas e ameaças em oportunidades, outra possibilidade é buscar uma empresa parceira para que, assim, o João conheça os melhores meios de gravar e distribuir seus vídeos.

Essa é uma dica de ouro! Ele pode falar diretamente com seu público sobre gastronomia. E o melhor, usando uma linguagem adequada e recursos que ele já possui.

Como fazer uma análise SWOT para pessoas

Além de ser uma ferramenta essencial para empresas e outras organizações, a análise SWOT também pode ser utilizada num contexto de desenvolvimento individual. Esse recurso é chamado de análise SWOT pessoal.

A ideia é que uma pessoa, ao passar por um processo de mudanças, como é o caso de uma recolocação profissional, não deixe de fazer  uma autoavaliação. Assim, você consegue identificar os seus pontos fortes e fracos. Isso vai ajudar na autopercepção e  a aprimorar esses pontos.

Abaixo, vamos te explicar quais são as melhorias proporcionadas pelo processo, como ele funciona e qual é a sua aplicação, na prática. Confira!

1. Entenda como a análise SWOT se aplica ao contexto profissional

Da mesma forma que a análise SWOT é aplicável para empresas, a análise pessoal, quando realizada num contexto profissional, deve ter foco de médio e longo prazo, com metas alcançáveis e reais.

Portanto, você precisa ter em mente um objetivo claro (como trocar de emprego, por exemplo). Desta forma, é possível ter foco para entender quais são as ameaças que estão te impedindo de avançar e quais oportunidades podem te levar adiante.

É importante definir aqui o que são pontos que dependem de você para melhorarem (as forças e fraquezas) e o que não depende apenas de você, ou seja, são fatores externos (oportunidades e ameaças).

2. Encontre seus pontos fortes e fracos

Para identificar seus principais pontos fortes e fracos, faça uma autoavaliação, ou, se preferir, converse com pessoas próximas, isto é, que já trabalharam com você, para buscar outras percepções.

Aqui, a ideia é identificar alguns aspectos, como:

  • principais habilidades técnicas que você domina;
  • principais soft skills (habilidades comportamentais);
  • áreas em que você tem experiência;
  • ações e habilidades que foram exaltadas por outros profissionais;
  • críticas construtivas (feedbacks);
  • erros comuns – cometidos ao longo da carreira.

Assim, é possível identificar quais habilidades você já tem e, além disso, quais serão primordiais para te transformar  num profissional melhor.

3. Identifique as ameaças e oportunidades

Depois, é fundamental entender quais são as principais ameaças e oportunidades que você vai enfrentar ao buscar esse novo objetivo.

A exemplo, temos o excesso de profissionais em uma nova área (ameaça), ou o alto grau de investimento que o segmento está recebendo (oportunidade).

Vale lembrar que, neste caso, mostramos exemplos dos fatores externos que envolvem uma pessoa que está trocando de área no mercado. 

4. Estabeleça metas reais

Por fim, estabeleça metas reais, com base em tudo o que foi identificado e estudado durante a análise SWOT.

Metas pouco factíveis e exageradas, por exemplo, costumam gerar muita frustração, portanto, podem não fazer sentido para esse tipo de recurso (que, inclusive, é bem objetivo).

Tente criar um planejamento baseado em dados reais, com metas de curto, médio e longo prazo.

Se o seu objetivo é trocar de área, por exemplo, identifique qual é o tempo médio que os novos profissionais podem gastar durante a transição. Para isso, estabeleça um tempo para estudar o que é necessário para adquirir novos conhecimentos.

Com um plano coeso, dividido em etapas e com ações diferentes, mais preparo e inteligência, é possível alcançar o lugar onde você pretende chegar, e, claro, extrai o que há de melhor na análise SWOT.

Conclusão

Por ser de fácil aplicação, a análise SWOT é uma ferramenta incrível de análise.

Porém, seu processo precisa de comprometimento para que você possa identificar as fraquezas e ameaças de maneira prática e, principalmente, encontrar as soluções adequadas para transformá-las em oportunidades.

O processo permite um amplo conhecimento do mercado, aponta um caminho seguro e que o Produtor precisa seguir. Além disso, torna-se uma ferramenta potente de aprendizado, tanto para seu negócio quanto para o mercado em que você quer atuar.

Gostou dessas informações e quer ter mais ideias sobre o que fazer para alavancar seu negócio? Aproveite para ler 7 dicas para empreender no mercado digital,  indicadas por quem conhece o assunto.


Este post foi originalmente escrito em fevereiro de 2018  e atualizado para conter informações mais completas e precisas.