Início / Blog / Economia criativa no Brasil: raio-x da Creator Economy
Fechar

Economia criativa no Brasil: raio-x da Creator Economy

Você já ouviu falar da Creator Economy e a revolução que ela está causando? Confira um raio-x da economia criativa no Brasil e como empreender na área.

Economia Criativa no Brasil - ilustração de uma lâmpada no centro da imagem com sete ícones de redes sociais e canais de marketing ao redor

As últimas décadas foram marcadas pelo avanço rápido da tecnologia. Se antes a TV era a principal fonte para a criação de conteúdos, hoje ela se torna coadjuvante. Os canais de comunicação da internet agora são essenciais para a economia criativa no Brasil, ou Creator Economy. 

Um dos motivos para isso foi a popularização das redes. Na TV, os conteudistas deveriam ter perfil para estar na telinha. No Instagram, TikTok e YouTube, por exemplo, basta mostrar algo relevante para seu público-alvo e boom — você agora tem chances de ser notado e crescer sua audiência. 

Isso porque quem participa da economia criativa procura transformar informações em produtos ou serviços que geram receita. 

Quem produz conteúdo para a internet pode ser considerado um influencer digital — e não é preciso ter milhões de seguidores para tal. Basta inspirar e levar o usuário a comprar o que está sendo oferecido.

Se você acha que a ascensão dos produtores digitais começou na pandemia,você está enganado. Para se ter uma ideia, só em 2017, a Economia Criativa ficou responsável por mais de 2,5% do PIB do Brasil, gerando um total de 837 mil empregos formais. Os dados foram divulgados pela Firjan, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas.

Quer saber mais sobre essa modalidade de economia que vem ajudando milhões de brasileiros a saírem do tradicional mercado de trabalho? Vem com a gente fazer esse raio-x da creator economy! 

Post index MenuÍndice
O que é Economia Criativa, ou Creator Economy? Como a Economia Criativa surgiu? Como é o mercado da Economia Criativa no Brasil? O que é preciso para trabalhar na Creator Economy? Quais tipos de trabalhos existem na Economia Criativa? Como ser um Criador de Conteúdo, ou Creator? Conheça a Hotmart, sua parceira na Creator Economy!
Voltar ao Índice

O que Economia Criativa, ou Creator Economy?

A economia criativa é um setor relacionado ao conjunto de ações e atividades culturais, tecnológicas e criativas capazes de gerar impacto financeiro. Ou seja, é tudo que diz respeito à produção, distribuição e criação de bens e serviços criativos. 

Nisso, entram composições de músicas, vlogs, desenvolvimento de aplicativos para smartphones e muito mais. O mais importante aqui é entender que a economia criativa faz parte do nosso dia a dia. 

Lembra que mesmo antes da pandemia de Covid-19 essa economia já estava crescendo e causando impacto significativo para o nosso país? Agora, ela é essencial para o desenvolvimento cultural e tecnológico de qualquer nação.

Quando a população mundial se viu em casa, fazendo distanciamento social, os apps de  delivery de comida, vídeos no YouTube e TikTok e o uso de computadores para trabalhar, foram essenciais para nos alimentar e entreter.

Ou seja, o tema é bastante relevante, pois acompanha os hábitos de consumo da população. 

Como a Economia Criativa surgiu?

Surgiu em meio às movimentações comerciais incomuns nos anos 90 — junção de pessoas, ideias e projetos, dando início ao capital intelectual.

Segundo a Unesco, esse foi um dos setores da economia de maior expansão a nível mundial em um curto espaço de tempo. Entre 2002 e 2011, as exportações de bens originários da economia criativa aumentaram mais de 12% nos países em desenvolvimento.

Com tanta relevância, a Unesco declarou, em 2021,  o Ano Internacional da Economia Criativa para o Desenvolvimento Sustentável na última Assembleia Geral das Nações Unidas. Essa declaração veio em uma boa hora, pois a pandemia paralisou muitos setores.

Como consequência, as pessoas se reinventam para manter o valor criativo de suas produções e gerar renda.

Como é o mercado da Economia Criativa no Brasil?

Se em 2017 a creator economy representou 2,5% do PIB do Brasil, gerando um total de 837 mil empregos formais, informação que passamos no início do artigo, imagine hoje em dia?! 

Bom, segundo a UBC, União Brasileira de Compositores, “esse segmento, apontado como um dos grandes vetores de crescimento da economia mundial pós-pandemia, representa hoje [2021] quase 3% do PIB brasileiro, gera 6,6 milhões de empregos e possui mais de 140 milhões de empresas.”

O que é preciso para trabalhar na Creator Economy?

Você, com toda a certeza do mundo, consome a economia criativa. Mas quer saber como trabalhar nela? Confira as nossas dicas logo a seguir:

1. Ter ideias relevantes para o público

Para fazer parte de um dos setores mais lucrativos é preciso ter algo de relevante para oferecer, não acha? Por tanto, nos diga: qual é a sua habilidade capaz de agregar valor ao tempo do consumidor, até porque tempo é o que temos de mais valioso. 

Pode ser uma composição musical, construção de um aplicativo, desenvolvimento de um podcast, textos para blogs, curso online e outros materiais multiformatos.

2. Acompanhar as tendências de mercado

Para se sobressair, indicamos acompanhar as mudanças e tendências do mercado. Como exemplo, o TikTok cresceu absurdamente desde o começo da pandemia. Hoje, várias organizações baseiam suas estratégias nesse app, pois há muita visibilidade.

Por isso, esteja sempre atento ao surgimento de novos apps, novos meios de comunicação e novos trends. Em outras palavras, seja curioso e estude! 

3. Saber criar conteúdos de qualidade

Criar um conteúdo de qualidade não quer dizer ter uma câmera profissional, gravar em um estúdio etc. Significa passar conhecimento relevante dentro da sua estratégia e comportamento do público-alvo.

Por exemplo, se você é adestrador de cães e gostaria de ensinar algum truque básico aos donos de pet, é preciso uma boa iluminação, um cachorro modelo, um tripé para a câmera e um roteiro. Esse é um bom caminho para criar um conteúdo de boa qualidade para Instagram Reels e Stories, YouTube Shorts ou TikTok.

4. Gostar de compartilhar conhecimento

Gostar de ensinar é um plus! Quem é tímido ou acha que não tem uma boa oratória, pode trabalhar nos bastidores: compor músicas, escrever roteiros e posts, por exemplo.

5. Conhecer as principais plataformas digitais

Para participar ativamente da economia criativa é preciso saber usar as principais plataformas e serviços digitais, como redes sociais, apps de criação e edição de conteúdos, plataformas de venda e muito mais.

Quanto maior for o seu conhecimento, maior flexibilidade de atuação você terá dentro do setor.

Quais tipos de trabalhos existem na Economia Criativa?

A boa notícia é que o segmento é tão grande, que há diferentes ocupações para optar trabalhar. Você pode ser um criador de conteúdo, influenciador digital, professor online de qualquer nicho, Afiliado, Produtor Digital, produtor de eventos, produção de foto e vídeo e muitos outros!

Como ser um Criador de Conteúdo, ou Creator?

Tem vontade de estar debaixo dos holofotes e fazer da sua imagem o branding do negócio? Confira nossas dicas!

1. Escolha um tema

Qual é a sua paixão? Moda? Vinhos? Educação para crianças? Café? Viagens? Música ou fotografia? Bom, o primeiro passo é escolher um tema que você goste muito e tenha familiaridade.

Assim, produzir conteúdo para o tema será mais prazeroso!

2. Conheça o mercado

Se você tem familiaridade é possível que também conheça o mercado. Mesmo assim, é válido estudar e acompanhar as tendências do nicho escolhido.

Além disso, é importante acompanhar os principais canais de comunicação, como já falamos anteriormente.

3. Estude o seu público-alvo

Quem precisa saber do seu conteúdo? Por exemplo, desenvolver um produto digital para crianças tem como principal público-alvo os pais, pedagogos e professores. Seja qual for o seu tema, não deixe de estudar.

4. Escolha um formato para o seu conteúdo

Nessa hora, é preciso levar alguns pontos em consideração na hora de escolher um formato para as suas criações. Deve-se pensar, por exemplo, no que o seu público-alvo costuma consumir e engajar mais e no tipo de conteúdo viável para você.

Nada impede de variar os formatos, algo capaz de trazer bons resultados. Porém, tenha em mente: os hábitos dos usuários vão mudando e a maneira de consumir conteúdos também. É preciso acompanhar o mercado por esse ponto de vista.

5. Crie o seu conteúdo

Muitas vezes, temos a ideia de que todos os conteúdos possíveis já foram criados e que não há mais como desenvolver algo jamais falado ou visto antes. Bom, nada impede de buscar referências e criar algo do seu jeito.

Mas lembre-se: se quer um reconhecimento autêntico, evite copiar as peças de outros conteudistas, sendo no mesmo nicho ou não.

6. Divulgue o seu trabalho como Creator

A divulgação é uma parte importante, pois essa é uma das formas de ser encontrado por seu público. Para isso, vá para as redes sociais, engaje com os usuários e crie estratégias de marketing digital para atração de público.

O mais importante é ter consistência, mesmo com um resultado abaixo do esperado. Tenha paciência e insistência.

7. Monetize o seu trabalho criativo

Para monetizar é preciso saber o valor do seu trabalho: quantas horas você gastou para planejar, produzir, editar e divulgar o seu trabalho? Qual foi o investimento feito por você para adquirir o conhecimento passado no conteúdo?

Isso tudo deve ser levado em consideração no momento de monetizar o seu trabalho. Além disso, é preciso hospedar o seu trabalho em sites seguros, de confiança e que te ajudam a crescer. Sendo assim, já ouviu falar na Hotmart?

Conheça a Hotmart, sua parceira na Creator Economy!

Sabia que a monetização do seu trabalho pode ser feita com a ajuda da Hotmart? Somos a plataforma que te ajuda a crescer!

Somos uma empresa global de tecnologia e educação, líder no mercado de produtos digitais. Além dos produtores se beneficiarem do uso da plataforma, o afiliado e o comprador também saem ganhando. Isso porque a nossa missão é viabilizar o compartilhamento de conhecimento e crescimento profissional e pessoal de outras pessoas.

A Hotmart é uma plataforma all in one, na qual Criadores de Conteúdo encontram ferramentas e funcionalidades completas para rentabilizar seus conteúdos e escalar vendas, desde a hospedagem do conteúdo, criação de página de vendas, meio de pagamentos, automação de email marketing, criação de comunidades e muito mais.

Os principais diferenciais da Hotmart são: 

  • Infraestrutura de armazenamento com segurança;
  • Infraestrutura para pagamentos online, incluindo os pagamentos internacionais;
  • Entrega automatizada de conteúdos aos compradores;
  • Pagamento de comissão aos afiliados de forma automática — assim, você não precisa se preocupar com o âmbito financeiro;
  • Viabilização de ferramentas e relatórios de vendas e produtos;
  • Opções avançadas de configurações de páginas, de acordo com o perfil do seu comprador.
  • Player de vídeo próprio;
  • Opção de anotações nos vídeos;
  • Acesso a materiais complementares;
  • Comunidades exclusivas no app Hotmart Sparkle;
  • Legendas em vários idiomas;
  • Opção de assistir à aula offline;
  • App Hotmart para Smart TV.

Que tal conhecer a Hotmart melhor? Cadastre-se na plataforma e descubra como ajudamos criadores a participarem ativamente da economia criativa! 

262