Plataformas de conteúdo: como apostar na multiplicidade de formatos para escalar alcance

Produção de conteúdo

Plataformas de conteúdo: como apostar na multiplicidade de formatos para escalar alcance

Saiba como aumentar o alcance da sua mensagem diversificando as plataformas de conteúdo que você usa!

Letícia Ronche

06/02/2024 | Por Letícia Ronche

Plataformas de conteúdo são ambientes online que oferecem e organizam uma variedade de informações, como artigos, vídeos e podcasts. Elas facilitam o acesso, compartilhamento e descoberta de conteúdos, proporcionando uma experiência de consumo personalizada e diversificada.

Uma das grandes perguntas do século é: como aumentar o alcance? Uma das estratégias para impactar mais pessoas é diversificar as plataformas de conteúdo que você utiliza.

Essa multiplicidade de canais te ajuda de várias formas: aumentando o seu alcance, explorando diferentes formatos de conteúdo, tendo a chance de conhecer melhor a sua audiência, ou mais audiências que podem se interessar pelo seu conteúdo, e ainda reforçar a sua autoridade no assunto.

E, para isso, vale considerar diferentes plataformas digitais para espalhar a sua palavra e o seu conteúdo.

Esse foi um dos temas falados durante o Fire Festival 2023 por diferentes referências do mercado digital

O report completo do Fire Festival, com essa e outras tendências do mercado, você confere clicando abaixo!

Banner versão desktop

 

O que é plataforma de conteúdo e por que ela é importante para o marketing digital?

Uma plataforma de conteúdo é um canal em que você pode publicar vídeos, fotos, textos… enfim, o tipo de conteúdo que for interessante para o seu negócio.

Alguns exemplos de plataforma de conteúdo são as redes sociais, YouTube e plataformas de infoprodutos.

É com ela que você consegue tornar o seu trabalho acessível a outras pessoas no ambiente online.

E é justamente por isso que esse tipo de esturutra digital é tão importante para o marketing digital.

Graças a essa tecnologia que o seu conteúdo pode ser visto e comprado pela sua audiência.

Contando com uma plataforma de conteúdo, você tem o benefício de já ter uma parte do público presente ali nos canais, e você não precisa desenvolver a parte tecnológica do zero – o que seria caro e demorado.

Assim, com as soluções de distribuição de conteúdo já existentes, você pode focar na sua mensagem, naquilo que você quer ensinar e na estratégia divulgação.

Quais os benefícios de se usar uma plataforma de conteúdo?

São muitas as vantagens de usar uma plataforma de conteúdos, seja você um profissional autônomo, analista de marketing em uma empresa, empreendedor ou infoprodutor.

Separamos os principais benefícios a seguir, mas o importante é que fique claro desde já que você pode ter muitos resultados ao apostar nelas!

1. Ser visto pela sua audiência

O primeiro ponto e um dos mais importantes é que as pessoas em geral estão familiarizadas com diferentes plataformas de conteúdo.

Já são milhões de pessoas no Instagram, consumindo conteúdo no YouTube, no Tiktok e comprando infoprodutos na Hotmart.

Portanto, se você quer que a sua audiência te veja e te reconheça, você precisa estar presente nos mesmos lugares que ela.

2. Conquistar autoridade digital

Ao publicar conteúdo de qualidade sobre o seu nicho, você demonstra o seu conhecimento e passa a ser reconhecido por isso.

O resultado é mais autoridade, o que vai fazer com que você tenha mais clientes, seja mais procurado por empresas ou venda mais – isso se reflete em diferentes modelos de negócio.

Se você tem um negócio online, suas chances de conversão são ainda maiores, pois tem mais pontos de contato para encaminhar o seu usuário à sua página de vendas.

3. Fazer mais vendas

Falamos um pouco sobre isso, mas a realidade é que quanto mais pessoas te conhecem e sabem da sua capacidade, mais vendas você vai fazer.

Isso vale para quem é Afiliado também. Se você tem uma audiência engajada, pode fazer indicações e ganhar uma comissão por venda feita.

O resultado disso é mais sucesso para você e o seu negócio online!

Outro ponto para quem trabalha especificamente com redes sociais, é que um trabalho bem feito pode abrir portas até para mais parcerias de conteúdo e fontes de monetização.

4. Ter acesso à tecnologia e soluções de ponta

Hoje, não há motivos para você criar a sua própria plataforma. Existem soluções prontas para os mais diferentes tipos de conteúdo.

Com isso, você pode focar na sua mensagem e naquilo que você quer ensinar – e em estratégias de divulgação.

Então, se você quer criar uma comunidade paga, um ebook, uma newsletter, ou uma websérie… o que for: há uma solução que vai te ajudar a criar algo profissional!

5. Aumentar o alcance do seu trabalho

Trabalhando na plataforma correta para a sua audiência, aumentam as chances de você ser encontrado e mais pessoas vão saber das soluções que você oferece.

Assim, você pode gastar menos com tráfego pago e aproveitar os recursos para ter mais alcance e engajamento.

Como escolher a plataforma de conteúdo certa para o seu objetivo?

Para saber com quais plataformas trabalhar é preciso levar em consideração os seguintes pontos:

  1. Seus objetivos: se você quer gerar alcance para ter mais clientes, se quer conquistar autoridade profissional para ter maior facilidade no mercado de trabalho ou se você quer vender infoprodutos, existem estratégias e plataformas distintas que você deve priorizar. Por isso, o primeiro passo é saber o que você espera dessa estratégia.
  2. Sua audiência: outro ponto importante é saber sobre o comportamento do seu público-alvo. É preciso estar no canais que essas pessoas já frequentam.
  3. O tipo de conteúdo: para cada plataforma, um conjunto de tipos de conteúdo. Por exemplo, se você quer publicar vídeos longos gratuitos, pode aproveitar o YouTube. Se sua comunicação é mais textual, pode criar um blog. Se você quer vender um curso online, deve procurar por uma plataforma de infoprodutos.

Esses são os principais pontos para decidir.

O que tem que ficar claro é que você não precisa (nem deve) escolher só uma. Para ter sucesso, é importante diversificar, sempre com estratégia e levando em consideração esses três pontos.

Por que aumentar o alcance é importante?

Tratamos a conversão como um funil, o alcance seria uma das métricas lá do topo. Quanto mais pessoas são impactadas, mais pessoas geram conexão e, consequentemente, mais pessoas compram.

Portanto, focar em ampliar o alcance por meio da diversificação das plataformas de conteúdo pode ser uma saída tanto para quem está estruturando um calendário editorial pela primeira vez, quanto para quem chegou em um platô de engajamento e vendas.

5 ideias de plataformas de conteúdo e formatos menos óbvios para explorar

E a grande armadilha de quem começa no digital é investir nas plataformas que já usa no dia a dia, ignorando que a audiência de uma empresa pode ser diferente do empreendedor e todas as outras possibilidades.

Não à toa, muitas empresas, sobretudo as menores, estão presentes somente no Instagram e nada mais. E, com isso, perdem a chance de impactar outras centenas de pessoas.

Por isso, separamos 5 plataformas de conteúdo que são menos exploradas para você considerar em sua estratégia.

1. Podcast

Os podcasts entraram sorrateiramente em nossas vidas e vieram para ficar!

Segundo dados apresentados pro Marcio Brant, CEO e fundador da WePod, em sua palestra no Fire Festival, 40% do público da geração Z espera que os creators que eles seguem tenham um podcast e 78% dessa audiência parou de aprender pelas vias tradicionais e está usando o podcast como canal educativo!

E não é só isso! Os podcasts são formadores de comunidades, o que é fortíssimo para criação de audiência, engajamento, vendas e indicações. 

Além disso, o especialista compartilhou que o Brasil tem um grande potencial de crescimento para esse formato.

“Muita gente chega para mim e fala assim, ‘ah, mas eu não vou fazer esse podcast, porque já tem muita gente fazendo’. Mas o que só você faz? O que na sua mensagem é único? O que você faz de diferente? E isso é muito importante, a gente entender o que só a gente faz. Porque vai impactar alguém. Vai impactar a sua audiência. E essa é a base da criação de comunidade, que é uma das maiores justificativas para se ter um podcast”, revelou Marcio Brant.

Aprenda como criar um podcast e conte com mais este recurso para crescer e faturar na internet!

VÍDEO: No começo você fica com medo: “vou perder minha audiência” l Rogério Vilela l Além do Fire

2. Newsletter

O formato de newsletter ainda é bastante nichado, mas tem um potencial gigantesco!

Entre as vantagens, podemos destacar que este é um formato que permite maior conexão com a audiência, além de certa autonomia: o contatos que você têm são seus, por mais que você conte com plataformas externas.

Quem falou sobre isso no Fire Festival, foi a Beatriz Guarezi, da news Bits to Brand, o Hernane Ferreira Jr, do The News, e a Guta Tolmasquim, CEO da Purple Metrics, em um painel sobre esse formato de conteúdo.

Para os especialistas, a newsletter permite criar um canal para apresentar uma curadoria que seja de interesse da audiência. A newsletter vem para manter o público a par das coisas que estão acontecendo dentro do nicho que o creator atua.

Ou seja, não é necessário criar algo completamente novo a cada envio, você pode trazer um compilado de notícias, compartilhar o que tem de novidade e as suas reflexões sobre esse tema, quase que uma coluna em um jornal.

“Vai muito da curadoria, eu acho. Se você faz curadoria, se você tem uma infinitude de assuntos no seu nicho e você pode aproveitar desses assuntos, você não precisa inventar a roda. O bom da newsletter é isso”, compartilhou Hernane, criador do The News.

No caso dos exemplos apresentados no painel, o The News é uma newsletter noticiosa, enviada diariamente e tem objetivo de “te tornar mais inteligente 5 minutos por dia”. E o Bits to Brands é uma newsletter semanal sobre tecnologia e branding.

As aplicações são infinitas e se adaptam aos mais diferentes mercados!

3. YouTube

Quem busca crescimento rápido na internet, no geral, aposta no Instagram reels, que tem um alcance maior e mais chances de o conteúdo sair da bolha.

O YouTube, apesar de ser uma das plataformas de conteúdo mais antigas, dá mais trabalho ao creator. Tem a questão de SEO específico, divulgação e promoção do canal e diferentes formas de fazer com que o vídeo chegue às pessoas.

Entretanto, é um canal para oferecer conteúdo mais denso, mais profundo e que demonstre ainda mais o seu conhecimento.

Além disso, é uma das fontes de tráfego mais qualificadas para quem trabalha com vendas online – quem vem dali está disposto a gastar mais com você – e ainda oferece uma forma de ser encontrado por uma audiência mais no topo do funil, que ainda não conhece as soluções que você oferece.

Quer um exemplo? Suponhamos que você tenha infoprodutos sobre meditação. Uma pessoa que está buscando formas de dormir melhor pode nem considerar a meditação, mas se, ao fazer uma busca no YouTube com formas de melhorar o sono, essa pessoa encontrar o seu conteúdo, pode passar a consumir mais do seu canal e, posteriormente, comprar seus produtos ou indicar para alguém.

4. TikTok

Apesar de o TikTok permitir maior alcance do conteúdo fora da bolha, a percepção é que é mais difícil para marcas e empresas.

Mas isso não significa que você deva evitar, mas trabalhar a criatividade para se destacar e ser visto pelos motivos corretos.

“O conteúdo, ele só vai bem se ele for bom, né? Então, assim, às vezes, a gente com 60 mil seguidores, tem mil visualizações: o conteúdo não foi bom. Então, você é bom para o usuário, mas para a marca (que te contrata) é meio ruim. Porque você é sempre dependente de conteúdo bom”, revelou Guta Tolmasquim, no painel “Não dancei (no TikTok) e me dei bem!”, que aconteceu no Fire Festival 2023.

Portanto é preciso testar, contar que nem todo conteúdo vai ter o mesmo resultado, que tudo depende e que o foco é ser autêntico.

A dica dos especialistas que participaram do painel com a Guta é produzir muitos vídeos, não pensar demais e fazer o que gosta.

5. Comunidade

A comunidade pode ser formada em qualquer plataforma de conteúdo. Aqui estamos falando de um grupo de pessoas unidas por um creator ou tema.

Isso pode acontecer em grupos de Telegram, canais de transmissão no Instagram, no YouTube ou em uma área de membros específicas.

Quem é criador de conteúdo na Hotmart pode trabalhar com o formato de conteúdo de comunidade, em que os alunos têm acesso a novos conteúdos frequentemente e pagam uma assinatura mensal.

Dessa forma, o empreendedor tem uma receita recorrente e os clientes aproveitam o conteúdo exclusivo das mais diferentes maneiras.

Essa é uma forma de depender menos do algoritmo e das instablidades das redes sociais para fortalecer a sua comunidade e você pode aproveitar essa audiência aquecida para lançamentos e até para gerar engajamento em suas redes sociais.

VÍDEO: Este é o motivo para você fazer um bom branding no seu negócio | Guta Tolmasquim | Além do Fire

Para além das plataformas de conteúdo, é preciso autenticidade

É comum que busquemos por hacks e formas mais fáceis de conquistar audiência, engajamento e vendas. 

Mas, independentemente das plataformas de conteúdo que for utilizar, do seu nicho ou até do que você quer vender, tudo isso só se conquista com conteúdo de qualidade e diferenciado.

Quem procura atalhos, aproveita todas as trends e cria conteúdo todo dia porque sente que esse é o segredo, tem menos chances de ter sucesso.

É melhor ter menos conteúdos por semana, mas com qualidade, autenticidade e originalidade do que posts todos os dias que não geram conexão e transformação.

Como analisar e mensurar os resultados obtidos nas plataformas de conteúdo?

A boa notícia é que as plataformas digitais, no geral, disponibilizam de analytics próprios para que você possa mensurar os resultados.

Você pode contar com elas e cruzar informações entre suas fontes de dados para ter insights e identificar pontos de otimização na sua jornada.

Algumas das métricas que você deve ter no radar são:

  • Alcance (número de pessoas que viram sua publicação)
  • Engajamento (interações que tiveram com o conteúdo, como curtidas, comentários e compartilhamentos)
  • Taxa de cliques
  • Número de vendas
  • Fonte de tráfego
  • ROI
  • Taxa de conversão

Quer saber mais? Confira o conteúdo “Por que métricas são importantes para a tomada de decisão do seu negócio” e fique por dentro de como analisar os dados que o seu negócio online gera!