Início / Blog / Email marketing: o que é e como fazer? [Passo a passo]
Fechar

Email marketing: o que é e como fazer? [Passo a passo]

Passo a passo prático!

Você sabia que o email marketing é uma das estratégias mais importantes para o Marketing Digital? Isso nos leva a crer que o email não morreu. Pelo contrário, esse modo de comunicação continua firme e forte para vários negócios.

As vantagens dessa estratégia são muitas, mas mesmo assim há quem desacredite. O fato é que ele auxilia no estreitamento de relacionamento, além de nutrir leads e converter vendas, ajudando a obter uma taxa de ROI satisfatória. 

Portanto, se você é empreendedor ou profissional de marketing e ainda não utiliza estratégias de email marketing para se relacionar com clientes e vender mais, agora é sua chance de começar!

No entanto, como usar o email marketing da maneira correta? Desenvolvemos esse passo a passo a seguir para você ficar por dentro da importância desse canal de comunicação. Vamos lá?

Post index MenuÍndice
O que é email marketing Para que serve o email marketing? Por que usar email marketing Tipos de email marketing Como fazer email marketing
Voltar ao Índice

262

O que é email marketing

Antes de saber fazer o email marketing, é importante entender a definição, de onde veio e onde se encaixa na comunicação de um negócio, certo? 

Para começar, o email marketing é uma estratégia, uma prática de comunicação, capaz de conectar um empreendimento ao seu público. Inclusive, de acordo com a grande alemã Statista, só em 2021, 4 bilhões de pessoas no mundo utilizam email. A projeção é de que em 2025 este número cresça para 4.6 bilhões. 

E tem mais! Segundo o site Snovio Labs, anúncios nos emails influenciam a decisão de compra de 50.7% dos consumidores. 

Sendo assim, tenha em mente: há espaço para negócios de todos os segmentos, pois é provável que o público-alvo de todo tipo de negócio esteja entre esses usuários, concorda? 

Ele se encaixa perfeitamente no Inbound Marketing, sendo um dos principais fios condutores para o desenvolvimento de um relacionamento com os usuários.

Para entender melhor o email marketing, devemos também entender a sua origem. Tudo começou nos anos 70, quando Gary Thuerk, gerente de marketing da Digital Equipment Corp, mandou cerca de 400 emails promovendo as máquinas do negócio. O resultado? Aproximadamente 13 milhões de dólares americanos em vendas.

Porém, o email marketing começou a ser levado a sério nos anos 90. Foi nessa época que eles começaram a ser enviados em massa. 

O uso do email pelas marcas passou por algumas transformações ao longo dos anos. Isso porque no começo, o envio de muitas mensagens começou a incomodar os usuários. Muitos negócios enviavam mensagens inconvenientes e insistentes sem qualquer tipo de permissão.

Como consequência, os provedores de email começaram a restringir emails suspeitos, enquanto os usuários ignoravam e deletavam mensagens indesejadas. Por isso, iniciou-se um movimento de qualificação de abordagens. 

Isto é, as marcas começaram a solicitar autorização para envios e como consequência, foi possível segmentar a base de contatos para mandar mensagens mais relevantes. Sendo assim, uma estratégia de email marketing busca voltar às origens como nos tempos de envio de cartas: de forma humanizada e personalizada.

262

Para que serve o email marketing?

O email marketing vai muito além de mensagens de anúncios e comerciais. A ferramenta veio para ajudar a engajar, promover conteúdos, nutrir leads, vender e ainda fortalecer o pós-venda. Quer saber mais? Prossiga com a leitura e descubra.

Engajar contatos

Esse canal é perfeito para estreitar relações por ser bastante direto e pessoal. Fica mais simples ainda quando os usuários dão permissão para receberem mensagens da sua marca. Sendo assim, eles já estão esperando o seu contato. 

Para engajar os seus contatos, o ideal é promover conteúdos relevantes e ofertas que sejam úteis para a vida dos usuários. É assim que a imagem de uma marca pode se fortalecer.

Promover conteúdos

Puxando o parágrafo anterior, o seu negócio pode promover conteúdos no correio eletrônico — se você tem um blog, então essa é a chance perfeita. 

Pode-se enviar atualizações do blog ou até mesmo criar uma newsletter com os links dos conteúdos para levar os contatos ao blog e aumentar a sua relevância online. 

Nutrir leads

A nutrição de leads é um tópico bem conhecido no Inbound Marketing, porque a estratégia tem a intenção de mostrar algo que um lead precisa, mas ainda não sabe, com o objetivo de transformá-los em clientes.

À medida que você envia conteúdos relevantes, o seu negócio vai ganhando valor e amadurecendo a decisão de compra dos assinantes.

Vender

Sabia que é possível vender diretamente do email? É possível montar ofertas e descontos para levar o leitor para a página de compra. Se você tem um e-commerce, não deixe de aproveitar as vantagens de realizar ofertas por email.

Fortalecer o pós-venda

No marketing de hoje é essencial não esquecer do cliente depois da compra realizada. Isso porque é mais simples fazer com que um cliente compre novamente do que conquistar um novo. 

Por isso, o email deve ser um grande aliado. É possível enviar pesquisas de satisfação, perguntar se há alguma dúvida ou até fazer um passo a passo de como utilizar o seu produto. Logo a seguir, comece mostrando mais ofertas relevantes para que possam voltar, comprar novamente e indicá-lo para amigos e familiares.

Por que usar email marketing

Segundo dados da pesquisa realizada pela Rock Content, 95,9% das pessoas entrevistadas conferem seu email diariamente e 76,7% das empresas adotam a estratégia de email marketing e, dentre elas, 96,1% acreditam na eficácia dessa estratégia.

Olhando para esses dados, é fácil entender porque tanto se fala em email marketing e porque ele é uma das primeiras opções de marketing digital praticada por empresas e empreendedores.

E, se isso não foi suficiente para te convencer da importância do email marketing, temos mais dois motivos para você:

Segmentação

Em uma estratégia de email marketing, você pode mandar emails segmentados para sua audiência, de acordo com o interesse deles e com a maturidade em relação ao negócio.

Como se faz isso?

Uma vez que, para entrar em sua base de emails, as pessoas precisam se cadastrar. O caminho até o cadastro pode envolver uma landing page, com conteúdos específicos de acordo com a finalidade da lista de entrada, e/ou um formulário de cadastro.

Portanto, somente quem está interessado naquele conteúdo irá se cadastrar. Com isso, supõe-se que o lead que se cadastrou é um lead qualificado.

Além disso, é possível qualificá-lo ainda mais com um formulário de cadastro mais completo. Você pode pedir informações como: site, redes sociais, como ele chegou até lá e interesses, além do endereço de email.

Quando o contato dos leads entram para sua base, você terá informações super valiosas sobre eles para pensar estratégias direcionadas para cada perfil.

E quem já conhece marketing digital sabe que a personalização aumenta as chances de conversão. Então, por que não utilizar o email, um canal intimista e amigável, para aplicar essa tática? 

Inbound

O outro motivo é que, com email marketing, você pode iniciar uma estratégia rica de Inbound Marketing, que consiste em oferecer conteúdos estratégicos e relevantes, a fim de fazer com que o lead avance no funil até o objetivo final do negócio (que pode ser uma venda, cadastro no site, etc.).

O Inbound Marketing começa fora do email, com a etapa de atração, e tem o email marketing como ponto chave das etapas de conversão e decisão, sendo o canal com melhor custo-benefício para o empreendedor.

Entenda melhor como funciona o Funil de Inbound com nosso Hotmart Tips sobre o assunto:

Alcance previsível 

O email, ao contrário de redes sociais, não possui algoritmos que definem o tipo de conteúdo que é entregue para o usuário. O alcance é determinado apenas pela validade e tamanho da lista de emails e, teoricamente, todos os usuários com endereço válido receberão as mensagens na caixa de entrada. 

Segundo a Snovio Labs, só em 2020, uma média de 306.4 bilhões de emails foram enviados e recebidos por dia. Estamos falando em uma escala mundial, mas é possível ver a dimensão do alcance previsível que uma mensagem eletrônica tem.

Formato mais flexível 

Todo email é uma tela em branco e pode ser explorado de diferentes formas: com uso de imagens, GIFs, texto, link para outros canais e muito mais. As mensagens não tem limites de caracteres, como nas redes sociais.  Ou seja, um email pode ser feito como você quiser!

Maior retorno financeiro 

O retorno sobre investimento do email marketing é um dos mais altos entre os outros canais de comunicação, sabia? Isso porque pode-se alocar um baixo investimento para usar essa estratégia, traduzindo em um alto retorno. 

A Litmus soltou uma pesquisa relatando que a cada $1 investido, as marcas conseguem, em média, um retorno de $42. Inclusive, alguns segmentos conseguem um retorno ainda maior.

Para começar, você precisa de apenas 3 fatores: um domínio, uma ferramenta de envio e uma pessoa para escrever emails. Há ferramentas de envio gratuitas pelo mercado, provando que não é preciso fazer um alto investimento nesse canal de comunicação.

Canal independente 

Uma grande vantagem de usar essa estratégia é que o email é um canal próprio — mas o que isso quer dizer? Quer dizer que não há a intermediação de plataformas controlando conteúdo, entrega e visibilidade, como acontece com redes sociais, por exemplo.

Isto é, a sua lista de contatos é um ativo da sua marca, não existindo uma entidade externa definindo quando as mensagens chegarão ao seu público.

Tipos de email marketing

Com o email marketing, é possível utilizar vários formatos, como email de boas-vindas, sazonal e mais. Confira!

Newsletter

O envio de newsletter é um tipo muito utilizado. Sua principal função é informar os assinantes e levar novidades e lançamentos de seu negócio a eles.

É uma estratégia perfeita para manter o relacionamento com clientes em potencial e, inclusive, com quem já é cliente de fato. Também é bom para identificar assinantes que estão um tempo sem interagir e criar emails ou condições especiais para engajá-los.

Apesar de ser o tipo mais simples e popular de email marketing, newsletters geram muitos leads e podem ser o primeiro passo para uma estratégia de nutrição, como veremos a seguir.

Nutrição de leads

A nutrição de leads já é uma prática do Inbound. São emails enviados para uma base de leads com conteúdos que vão avançando à medida que o lead demonstra interesse em conhecer mais sobre o produto/serviço de seu negócio, até chegar num ponto em que está preparado para a compra (ou outra ação de conversão).

Portanto, neste tipo, as estratégias são muito mais complexas e devem ser previamente definidas. Para isso usam-se ferramentas de automação de email marketing.

Por exemplo: você oferece um ebook com o conteúdo completo de um post em seu blog e, em troca do download, os leitores devem preencher um formulário, inserindo o contato de email e respondendo a uma pergunta sobre o que mais têm interesse em aprender.

Antes de disparar qualquer email, você precisará ter definido fluxos de nutrição, cruzando os interesses do formulário com o produto/serviço que mais se adequa a cada um para ser oferecido na etapa de decisão. 

Nos fluxos, os emails terão que ser planejados com conteúdos condizentes a cada etapa do funil. Assim, a cada email recebido, o lead que demonstrar interesse e clicar no cta, receberá, depois, um email com um conteúdo mais avançado.

Com a automação configurada, assim que o visitante enviar o formulário, ele estará na lista segmentada e começará a receber automaticamente os emails do fluxo que se adequa ao interesse dele. Isso sem você precisar mexer um dedo a mais.

Para quem é novo nesta área, pode ter soado bem confuso. Mas fique tranquilo, explicamos tudo detalhadamente neste post sobre nutrição de leads.

Convites e divulgação

Por fim, é possível mandar email marketing para convidar pessoas para eventos, lançamentos ou para fazer uma campanha de divulgação.

Caso você já tenha uma base de leads, é só mandar os emails para uma lista de interesse. Se não, o ideal é fazer uma campanha de atração e oferecer o formulário de cadastro em uma landing page.

As vantagens são as mesmas dos outros tipos, poder segmentar e personalizar. O que muda aqui é o conteúdo e o objetivo da estratégia.

Email sazonal

Pode-se fazer emails de acordo com as datas comemorativas e especiais, como o aniversário do contato, felicitações por alguma conquista e muito mais. 

É possível também aproveitar as datas especiais do mercado, como Dia das Mães, Black Friday, Natal e outros. O importante é estar presente na caixa de entrada do seu público para que ele se sinta lembrado. 

Email de boas-vindas

Essa mensagem deverá ser enviada ao prospect que virar lead na sua lista de contatos. Esse tipo de email guia o usuário na jornada de compras, pois é a partir disso que começamos a nutri-lo com informações relevantes. 

Email para clientes inativos

É praticamente impossível ter todos os clientes ativos na lista de contatos. Por isso, pode-se desenvolver ações para engajá-los novamente, como uma oferta interessante e difícil de se recusar. 

Por isso, preste bem atenção no assunto que irá escrever, pois são eles os responsáveis pela taxa de abertura de um email. 

Você pode também:

  • Higienizar sua lista de emails (faça isso e veja as taxas de abertura aumentar).
  • Mandar um email perguntando quais tipos de conteúdos ele gostaria de receber.
  • Avisar o Lead que ele não receberá spam.

Email de abandono de carrinho

Nesse tipo de email você pode lembrar o produto que foi esquecido no carrinho. Pode-se mandar mensagens como “Olá, fulano! Você esqueceu X produto no carrinho. Que tal voltar e finalizar a compra?”

Além disso, você pode mandar uma mensagem anunciando descontos no produto esquecido. Muitas marcas fazem isso, sabia?

Como fazer email marketing

Confira o passo a passo de como fazer email marketing para a sua marca.

1 – Defina a sua campanha 

Primeiramente, é preciso definir a sua campanha. Isso inclui a definição do público-alvo, sabe como? A partir da criação de uma persona, caracterizado pelo perfil ideal de cliente com quem você deseja se comunicar por email. 

Logo após essa definição, é preciso escolher o objetivo principal da campanha — quero vender, engajar ou nutrir a minha lista de email? Além disso, defina o formato da mensagem e a frequência. Para isso, estabeleça um calendário de envio para enviar campanhas na medida certa.

2 – Escolha sua ferramenta de automação de email marketing

É muito importante usar as ferramentas de automação para fazer emails e estratégias mais profissionais, para ter como mensurar e analisar suas ações.

Existem diversas opções disponíveis no mercado, desde ferramentas mais simples e gratuitas até ferramentas super completas.

Aqui vão algumas dicas de ferramentas para você começar a usar email marketing:

Mailchimp

Mailchimp email marketing

O Mailchimp é uma plataforma gratuita, ideal para quem nunca fez email marketing e quer começar a aprender, que possui várias funcionalidades. Você pode criar diversas automações, templates de email customizáveis e ferramentas de análise.

Leadlovers

Leadlovers email marketing

A leadlovers é uma plataforma brasileira de automação de marketing e uma de suas funcionalidades é a automação de email.

Com planos a preços que cabem no bolso, é uma ótima opção para quem quer começar do zero com profissionalismo.

Mailify

ferramenta de email marketing mailify

Uma alternativa de ferramenta muito interessante é a Mailify. Ela é intuitiva e conta com um editor no estilo de arrastar e soltar chamado E-mail Builder, que deixa o processo da criação do layout muito mais simples.

Além disso ela é multicanal, contando com o envio de SMS massivos, e também é possível utilizar técnicas premium como, a análise de eye tracking preditivo e envio de lembretes de carrinho abandonado.

E-goi

e-goi email marketing

Também especializada em automação de marketing, a e-goi é uma opção para quem está começando, pois é intuitiva e o custo-benefício vale a pena.

3 – Capture os leads

Você já leu um pouquinho aqui sobre a captura dos leads. Essa etapa é muito importante para a segmentação. Por isso, se você já tem uma estratégia de marketing de atração, ela precisa estar alinhada aqui.

Você pode capturar leads nas redes sociais, por meio de um blog e campanhas de mídia. 

Para estratégias de inbound é importante ter uma landing page otimizada e um formulário completo e bem estruturado.

Mas, para a newsletter, apenas um banner ou pop-up, com o campo de preencher o email, em seu site ou blog é suficiente.

E atente-se à LGPD, Lei Geral de Proteção de Dados, uma regulamentação criada para proteger dados pessoais de internautas. Ela entrou em vigor em agosto de 2020 e quem trabalha com email marketing precisa se adequar às mudanças.

A captura de leads é essencial para construir a sua lista de email, porém o mais essencial é criar uma lista com endereços reais e válidos. Só assim será possível realizar uma metrificação autêntica para tomar decisões assertivas. 

Além disso, o capture de leads também deve contar com o “aceite” do destinatário para, assim, evitar o envio de SPAM. Por isso, é importante ter uma landing page otimizada e um formulário completo e bem estruturado.

4 – Crie a campanha

Crie listas segmentadas, defina fluxos para estratégias de nutrição e monte os seus emails.

Dicas para criar emails que convertem:

  • Use um template simples, mas bonito: tenha uma identidade visual, use fontes do sistema e inclua imagens, se necessário. Mas, de preferência, deixe o email com um aspecto minimalista, pois, se for muito elaborado, poderá afastar o lead.
  • Crie títulos chamativos: aproveite os gatilhos mentais para persuadir o lead.
  • Escreva um conteúdo relevante e de valor para os leads: pense em ajudar a resolver a dor desse lead, antes de pensar em vender seu produto ou serviço.
  • Coloque um CTA: sempre inclua chamadas para a ação que direcionam para o conteúdo completo ou para uma página específica. Assim, você poderá analisar a qualidade de seu email e o engajamento dos leads pela taxa de cliques.
  • Use uma linguagem informal e intimista: um dos benefícios do email é poder se aproximar de seu cliente em potencial. Portanto, ao usar uma linguagem informal você humaniza sua abordagem, fazendo com que ele se conecte melhor com seu negócio e não pense que ali por trás só têm robôs tentando fazer vendas.

5 – Dispare e faça análise

Com tudo pronto, teste os emails antes de enviar e depois dispare ou configure a automação para fazer o disparo de forma automática.

E, como já diz a premissa do marketing digital, analise o resultado de cada email e campanha, faça testes AB e continue aprimorando suas estratégias.

Viu como o email marketing é importante para a estratégia de qualquer negócio? Isto é, além de alcançar todos os contatos na sua lista, você pode escrever um email do jeito que preferir — longo ou curto, com imagens ou vídeos — além de ter um retorno financeiro maior, já que não se gasta tanto para realizar essa estratégia. 

Para obter êxito, planeje bem a sua campanha — definindo a sua persona — escolha a ferramenta certa para fazer automações, capture leads reais, dispare a campanha e realize a metrificação. 

Esse é o caminho certo para atingir os seus objetivos com o email marketing. Por falar nisso, vender por email está entre esses objetivos? Confira as nossas dicas de como aumentar o faturamento de um negócio digital por meio do email.